Treinador garante que convenceu José Aldo a largar aposentadoria e lutar em 2017

Depois de anunciar sua aposentadoria do MMA, José Aldo voltou atrás e já mira seu retorno ao octógono do UFC no início de 2017. Quem garante é seu treinador e empresário, Dedé Pederneiras, que afirmou que conveceu o pupilo a mudar de ideia após uma reunião de cinco horas em que tanto o lutador quanto sua esposa concordaram com o retorno.

De acordo com Dedé, o campeão interino dos pesos-penas (66 kg) do UFC estava disposto a pedir liberação do evento para competir no boxe profissional. No entanto, a negativa de Dana impediu que o plano saísse do papel e, após dias de análise, seu retorno será possível mediante uma condição: lutar pelo título linear.

“O Aldo foi para a reunião com a intenção de cancelar parte do seu contrato”, narrou em conversa com a reportagem da Ag. Fight. “Ele queria ficar vinculado ao UFC somente ao MMA e ficar liberado para lutar outras modalidades sem ter que ficar pedindo autorização. Na verdade, ele queria lutar boxe profissionalmente, e se algum dia quisesse voltar a lutar MMA ele voltaria ao UFC. Isso infelizmente não foi possível e aí ele teria que ficar sem lutar boxe como ele queria, e não lutaria mais MMA. Ele é um garoto muito novo para se aposentar agora. Depois da nossa reunião, tive uma reunião por cinco horas com o Aldo e a esposa dele e consegui convencê-los de lutar pelo título linear com quem fosse no início do ano. E é o que o Aldo fará!”.



Como ainda é preciso esperar a luta de Conor McGregor, que retorna ao octógono no próximo dia 12 de novembro contra Eddie Alvarez, pelo cinturão dos leves (70 kg), não há uma certeza de data para que isso ocorra. Além disso, existe a possibilidade de que o irlandês não retorne à divisão dos penas, sem contar com os rumores sobre um possível anúncio de sua aposentadoria temporária. Nada, porém, que atrapalhe os planos do brasileiro.

“Não pensamos no Conor para tomarmos as nossas decisões. A única coisa que o Aldo quer é a sua revanche. Se ele não voltar à categoria, ele lutará com quem for pelo título linear e depois veremos como ir atrás do Conor, que não quer lutar com o Aldo de jeito nenhum”, narrou Pederneiras.

Passados os momentos de indecisões e rusgas com o UFC, Dedé aproveitou para deixar claro que esse tipo de situação faz parte e que a atitude tomada por sua equipe, de viajar para Las Vegas (EUA) para se reunir com Dana White, foi o que possibilitou que tudo fosse resolvido.

“É sempre muito ruim estar nessa situação de espera sem saber o que vai acontecer com o futuro do seu atleta e empresariado. A reunião teve seu lado bom, porque o Aldo conseguiu falar tudo que estava engasgado por anos frente a frente para o Dana. Em alguns momentos, o Dana concordou, em outros ponderou com o que ele achava certo. Mas todos acharam muito melhor da forma que foi feita, da gente pegar um avião ir até Vegas e resolver tudo cara a cara”, finalizou.