Whey ou albumina? Entenda as diferenças e escolha o melhor para você

O consumo mínimo de proteína é de 0,8 grama por quilograma de peso corporal por dia, mas para um crescimento muscular de qualidade, é preciso aumentar esse volume para facilitar a recuperação de seus músculos, que pode ser de 2 gramas de proteína para cada quilo de peso corporal.

De acordo com estudos recentes, 33% da população brasileira acima de 18 anos pratica exercícios físicos, e junto a isso, o mercado de suplementos também aumentou suas vendas em 25% no país. E o Whey Protein, proteína do soro do leite, continua na liderança como o campeão de vendas, seguido da albumina, proteína da clara do ovo – duas proteínas diferentes, com efeitos distintos.

Whey Protein

Pode ser encontrado em três fórmulas: proteína concentrada, isolada e hidrolisada. Tem, em média, 20 aminoácidos essenciais para a reconstrução muscular.

Whey concentrado: Esta é a versão mais barata do suplemento. Vem com gorduras e carboidratos, e possui absorção mais lenta. Por este motivo, não é indicada para quem deseja perder peso enquanto aumenta os músculos.

Whey isolado: Essa versão possui um preço intermediário e quase não tem lactose na fórmula – 1%, no máximo. Mesmo assim não é a melhor escolha para quem tem intolerância à substância.

Whey hidrolisado: Com fórmula livre de açúcar e lactose, essa versão é mais cara e tem maior absorção. É perfeita para ser consumida após os treinos de alta intensidade, como levantamento de peso.


Albumina

Esse suplemento, além de ser nutritivo, é uma fonte de proteínas e ótima opção para quem deseja aumentar os músculos sem se preocupar em engordar, já que não contém açúcar e é capaz de melhorar o funcionamento metabólico. Esse suplemento possui lenta absorção e oferece suporte proteico durante o treino, e, assim, contribui para um melhor rendimento.