Rodoviários convivem com estrutura precária da CCR na Estação Pirajá, denuncia Hélio Ferreira

O Sindicato dos Rodoviários da Bahia fez uma paralisação nesta quarta (07), na Estação Pirajá, devido a estrutura precária do local provisório utilizado pelos trabalhadores.

Em entrevista ao Informe Baiano, o presidente da Comissão de Transportes da Câmara Municipal de Salvador, vereador Hélio Ferreira (PCdoB), disse que há diversos problemas, como “sanitários quebrados, falta de água, às vezes falta de luz e muita buraqueira”.

Segundo o edil, há dois anos os profissionais utilizam o espaço e a situação já está insustentável.

“Fizeram a área, mas não deram manutenção. Os trabalhadores estão revoltados. A gente reclama com a CCR e nada. Agora, eles disseram que vão ceder um novo espaço”, contou.

No período da tarde houve uma reunião com representantes da CCR-Metrô, que administra o local e empresários de ônibus. Ficou decidido que no próximo dia 2 de julho, os rodoviários vão passar a utilizar o estoque novo.

Blitz do transporte público

Em mais uma visita de fiscalização dos equipamentos públicos, vereadores da bancada de oposição da Câmara Municipal de Salvador fizeram uma blitz na manhã desta quarta (7) em alguns ônibus, no metrô e também em estações. Na primeira etapa da ação, eles entraram num ônibus em Paripe, seguiram até Plataforma e depois partiram para a Estação da Lapa.

“Hoje foi uma blitz que nós fizemos. Assim como alguns meios de comunicação fazem. O objetivo é ouvir a população e fazer esse debate”, afirmou Hélio Ferreira.

Vereadores conversam com passageira no metrô

O líder da bancada de oposição, vereador José Trindade (PSL), criticou o tempo de duas horas da viagem. Ele também chamou atenção também para a lotação e sujeira nos coletivos.

A petista Marta Rodrigues pontuou que “os ônibus estão somente pintados. Não tem wi-fi, sequer ar-condicionado, conforme é divulgado”. Segundo a vereadora, em Plataforma, no Largo do Luso, “não há abrigo para as pessoas que esperam os ônibus. E as pessoas reclamam da demora para a passagem dos coletivos”. Também estiveram presentes Aladilce Souza (PCdoB), Sidninho e Toinho Carolino (ambos do Podemos).