Viagem mais cara! Gol inicia cobrança por bagagem despachada amanhã

Os consumidores têm até hoje para comprar passagens da companhia aérea Gol sem ter que pegar pelo despacho de bagagens. Em maio, a empresa já havia anunciado a cobrança por bagagem despachada a partir de 20 de junho. As novas regras passarão a valer para bilhetes vendidos após essa data. Os clientes que compraram passagens antes das novas regras entrarem em vigor continuam com direito à franquia de 23 quilos.

A empresa promete lançar uma nova classe tarifária promocional, a tarifa Light, para clientes que aceitarem viajar só com a mala de mão de até 10kg.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) editou novas regras para a franquia de bagagem no transporte aéreo brasileiro. Antes, elas não podiam cobrar taxas adicionais pelo despacho de bagagem. O preço, na prática, estava embutido no valor da passagem.

A nova regra deveria entrar em vigor em 14 de março, mas uma liminar obtida pelo Ministério Público de São Paulo impediu a mudança. A decisão foi revertida no dia 29 de abril.

Azul Linhas Aéreas

A Azul foi a primeira empresa a implementar mudanças no sistema de bagagens e começou no dia 1º de junho, a comercializar tarifas promocionais.

O cliente da Azul que comprar a passagem com desconto pode escolher pela compra ou não do serviço de bagagem despachada. Nessa modalidade, se o cliente mudar de ideia, deverá pagar R$ 30 para despachar uma mala de 23 quilos.

Os descontos oferecidos pela Azul para quem não despachar bagagem variam de 12% a 30%. Por exemplo, um voo de Viracopos a Cascavel (PR) passa de R$ 231,90 para R$ 201,90 para quem não quiser levar malas. Já para ir de Viracopos a Curitiba, a tarifa cai de R$ 99,90 para R$ 69,90, segundo informações divulgadas pela empresa.

Outras companhias

A partir do início de julho, a Latam vai começar a cobrar pelas bagagens em voos domésticos e a oferecer preços diferenciados para passageiros que optarem por não despachar bagagens. Segundo a empresa, o preço da primeira mala será de R$ 30 para compras antecipadas. A companhia já fez mudanças na franquia de bagagens, que passou a ser de uma mala de 23 quilos, no caso de voos nacionais. Atualmente, esse já é o peso permitido, mas não há limite de volumes despachados.

A Avianca decidiu não cobrar pelo despacho de bagagens no momento. A companhia prefere estudar a questão nos próximos meses para criar produtos tarifários customizados, com o objetivo de melhor atender às necessidades dos diferentes perfis de clientes.

Fonte: Correio24Horas