E o caderninho? Geddel vai bater um papo sobre delação com os federais hoje à noite; Lúcio some das redes

O ex-ministro dos governos Lula e Temer e ex-vice presidente da Caixa na gestão Dilma, o baiano Geddel Vieira Lima (PMDB), vai bater um papo com os agentes da Polícia Federal na noite desta terça (12). A fonte do Informe Baiano disse ainda que o cacique do PMDB, conhecido como Boca de Jacaré, já teria manifestado interesse em delatar o presidente da República, Michel Temer e também outros integrantes da alta cúpula do seu partido.

Geddel tem fama de temperamental e organizado. Sempre andava com um caderninho, no qual fazia todas as suas anotações. Segundo o site O Antagonista, ele tenta negociar a blindagem de seus irmãos, Lúcio e Afrísio, e de sua mãe, Marluce. Porém, segundo nossa fonte, ele não teria “poder” para fazer a articulação.

O Informe Baiano ligou várias vezes para o deputado federal Lúcio Vieira Lima. Em uma das chamadas, um homem que preferiu não se identificar atendeu e disse que o parlamentar estava dormindo. Bastante ativo nas redes sociais, Lúcio apagou sua conta oficial do Facebook e há seis dias não faz nenhuma publicação no Instagram.

Malas de milhões

Um “bunker” no bairro da Graça com R$51 milhões que, segundo a investigação, era usado por Geddel foi encontrado pela Polícia Federal na terça-feira (5/09). Após a revelação, o ex-ministro que estava em prisão domiciliar foi transferido para a Papuda em Brasília. Seu ex-assessor, Gustavo Ferraz, também foi preso e admitiu que pegou dinheiro para Geddel em um hotel em São Paulo, no ano de 2012. A operação, nomeada de Tesouro Perdido, foi autorizada pela 10ª Vara Federal de Brasilia.