Unesco reconhece Salvador como Cidade da Música

Única no Brasil a integrar a Rede de Cidades Criativas da Unesco, na categoria Música, Salvador recebeu oficialmente, nesta quarta-feira (1º), o reconhecimento de sua vocação como elemento de desenvolvimento econômico e social. A coordenadora do setor de Cultura da representação da Unesco Brasil, Patrícia Braz, entregou pessoalmente o documento de reconhecimento ao ACM Neto, em solenidade realizada no Palácio Thomé de Souza. Participaram artistas como Daniela Mercury, que cantou no evento, Margareth Menezes, Paulinho Boca de Cantor, Fred Dantas, as meninas da Banda Didá, Márcio Melo, Gerônimo, Levi Lima (Banda Jammil), entre vários outros.

O anúncio da de Salvador para integrar a Rede de Cidades Criativas da Unesco foi feito em dezembro do ano passado. Nesse primeiro semestre de participação no programa da Unesco, Salvador tem atuado efetivamente ao lado de outras cidades criativas da música, apresentando suas iniciativas e programas desenvolvidos em encontros de cooperação realizados, recentemente, nas cidades de Hamamatsu (Japão) e Katowice (Polônia). Já foi possível o intercâmbio de experiências com membros como Bologna (Itália), Sevilha (Espanha), Glasgow (Reino Unido), Ghent (Bélgica), Bogotá (Colômbia), Brazzaville (República do Congo), Mannheim (Alemanha) e Hannover (Alemanha).

“Salvador, na prática, já é a cidade da música. No entanto, ter esse reconhecimento da Unesco, num grupo pequeno de cidades do mundo inteiro que são consideradas criativas, dá mais projeção internacional à Salvador. Chama mais atenção para essa posição global que Salvador já tem. Isso, é claro, vai render muitos frutos no interesse de pessoas que são apaixonadas pela música conhecerem ainda mais de perto a produção da nossa cidade. Esse reconhecimento dá mais projeção, mais força e mais luz à produção musical da nossa capital”, afirmou o prefeito ACM Neto.

A representante da Unesco Brasil, Patrícia Braz, explicou que esse reconhecimento coloca alguns compromissos, como entender o impacto da música para a economia local, estimular as capacitações e promover a interação da cultura com a educação. “Esse reconhecimento tem efeitos práticos, como intercâmbio entre as cidades da rede para que se discutam, por exemplo, como encontram soluções nos mais diversos desafios para conduzir uma estruturada de apoio à cadeia da música. São diversas consequências, sobretudo na troca de experiência, mas, antes de tudo, é o estabelecimento de um compromisso local”.

O Escritório Salvador Cidade Global (ESCG) foi o responsável pela candidatura e pela mobilização para que Salvador fosse inserida na Rede de Cidades Criativas. O chefe do escritório, secretário Jorge Khoury, pontuou que, ao mesmo em que Salvador identifica nas cidades parceiras exemplos a serem adaptados e seguidos, também é referência para outras metrópoles. “Uma das motivações da Prefeitura para inserir Salvador na rede foi o fortalecimento das atividades de economia criativa que já são desenvolvidas, ampliando a atratividade para investimentos nacionais e estrangeiros”, disse.

Museu da Música – O prefeito ACM Neto aproveitou a oportunidade para anunciar que está sendo desenhado o projeto do Museu da Música Brasileira. “Estamos agora buscando os meios de financiamento desse equipamento para que seja um espaço de apelo nacional e internacional, que conte a história da música do Brasil a partir da sonoridade , e que seja mais um elemento de atratividade para a cidade de Salvador. Nosso objetivo é que esse seja o mais moderno e completo equipamento do do Brasil”.