Vandalismo contra iluminação gera prejuízo de R$ 18,1 mil em apenas um mês

A reposição de equipamentos e a manutenção na iluminação pública, necessária por conta das ações de vândalos praticadas no mês de janeiro, custou mais de R$ 18,1 mil aos cofres da Prefeitura. O valor foi aplicado para sanar problemas provocados pelos 36 ataques registrados na capital baiana em apenas 30 dias. Dentre os casos mais recorrentes se destacam os delitos contra a passarela que liga Pernambués ao Salvador Shopping, nas imediações da Grande Bahia, no final da Avenida Paralela. Somente em janeiro, o equipamento foi atacado três vezes. Além de furto de cabos, os vândalos depredaram as luminárias.

De acordo com levantamento da Diretoria de Serviços de Iluminação Pública (Dsip), vinculada à Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), de janeiro a dezembro do ano passado foram gastos mais de R$ 440 mil em reposição de materiais furtados e depredados. Segundo o diretor de Iluminação Pública, Júnior Magalhães, a prática tem sido crescente em algumas regiões de Salvador. “É um crime contra a cidade. Vandalismo contra o nosso patrimônio é atentar contra a coletividade. É proibido furtar material ou danificar material público. Temos trabalhado muito para coibir, mas pedimos à população que denuncie”, enfatiza Magalhães.

O principal problema é roubo de fios de cobre e a depredação de luminárias. Para tentar combater os ataques, a Dsip tem feito operações com a Guarda Civil Municipal (GCM) e registrado queixas junto à polícia civil. A população também pode ajudar, denunciando qualquer situação suspeita por meio do Fala Salvador (156), que funciona 24h. O número também serve para comunicar sobre pontos apagados e apagões. “Podem nos acionar no 156 ou também denunciar às polícias”, frisa o diretor.

Projeto – Preocupada em diminuir o número de ataques, a Dsip tem executado ações para dificultar os delitos dos vândalos. Um projeto piloto que prevê mais segurança e menos impacto quanto a depredação começou a ser implantado na passarela que liga a Avenida Luís Viana, na região de Pernambués, à Avenida Tancredo Neves, em frente à Madeireira Brotas, um dos alvos preferidos dos vândalos. Ano passado, o equipamento foi atacado seis vezes em apenas um mês. De acordo com a Dsip, o novo material de proteção pesado e as luminárias com a tecnologia de LED começou a ser implantado em janeiro e está em fase de conclusão. A previsão é que o trabalho termine em pelo menos mais 30 dias.

O projeto tem intuito de dificultar o roubo, com a criação de uma estrutura de proteção para luminária e para o cabeamento. Atualmente, ficam expostos, o que facilita o roubo e as ações de depredação. “Estamos implantando um material anti-vandalismo, com grades de ferro, para que isso não ocorra mais. Vamos finalizar neste equipamento e em seguida replicar para demais passarelas da cidade”, finalizou Magalhães.