Balanço final do Carnaval 2019

O Carnaval 2019, organizado pela Prefeitura, através da Empresa Salvador Turismo (Saltur), teve 4.983 horas de música, com 17.955 artistas envolvidos nas mais de 700 apresentações nos circuitos oficias e 208 shows em 10 palcos. No total, foram 97 blocos nos circuitos e 305 trios para o folião pipoca (trios independentes, agremiações sem corda, minitrios e projetos especiais). O Carnaval fora dos circuitos oficiais, ou seja, nos bairros e espaços temáticos, incluindo o Circuito Mestre Bimba (Nordeste de Amaralina), reuniu 1,1 milhão de pessoas.

O projeto Pôr do Sol, por exemplo, que aconteceu pelo terceiro ano consecutivo, reuniu 50 mil pessoas por dia, somando 150 mil no total. Cerca de 60 mil foliões curtiram a Torre Eletrônica, na Barra, e outros 22 mil o Beco das Cores, também no Circuito Dodô. O Concurso de Fantasia LGBT, realizado na Praça Municipal na segunda de Carnaval, reuniu um público de mil pessoas.
Projeto inédito deste ano, o palco das orquestras e bailes infantis montado no Largo da Mariquita, no Rio Vermelho, reuniu 18 mil pessoas com a apresentação de 120 artistas. O Carnaval Náutico, que ocorreu pelo segundo ano consecutivo, contou com 150 embarcações e 1,5 mil pessoas.

Circuitos – O Circuito Dodô contou com 107 trios independentes, 72 blocos, 1.850 artistas e 76 horas de música. O Circuito Osmar reuniu 1700 artistas, 82 blocos, 79 trios independentes e 85 horas de música. O Circuito Batatinha contou com 61 horas de música, 100 blocos e 1140 artistas.

Atendimento à saúde

Os módulos de assistência à saúde montados pela Prefeitura nos circuitos do Carnaval contabilizaram 4.946 atendimentos durante toda a folia, número 0,8% menor que a festa momesca do ano passado, quando foram registradas 4.986 ocorrências. O posto montado no circuito alternativo Mestre Bimba, no Nordeste de Amaralina, contabilizou 7 atendimentos com redução de 61% comparado ao ano de 2018 (18).
Os casos clínicos como enjoo, intoxicação alcoólica e dor de cabeça foram responsáveis por aproximadamente 80% das intervenções. Os procedimentos cirúrgicos e traumas ortopédicos apresentaram redução de 7,6% e 1,5%, respectivamente, refletidos na redução da gravidade dos casos. A diminuição significativa de episódios de agressão por arma branca também foram destaque positivo da folia. Esse ano, foramcontabilizados 253 casos, um decréscimo de 26% em relação ao mesmo período de 2018.

Os altos índices de resolutividade e eficiência dos serviços prestados nos módulos de assistência foi outro dado que chamou a atenção. Dos 4.986 atendimentos realizados nos circuitos, 149 necessitaram de transferência para rede de retaguarda para avaliação tomográfica, exames radiológicos, atenção obstétrica e fraturas. Isso representa apenas 3% dos casos.
As Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) Barris e Brotas, postos de emergência do município, foram uma das principais referências para as transferências, com 55 casos.

Mobilidade na folia

A operação de transporte montada pela Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob) se deu a contento. A programação estabelecida supriu a demanda da festa. Foram transportados nos seis dias oficiais de folia 4.959.110 pessoas no sistema convencional de ônibus. Já nos veículos do sistema complementar foram transportadas 243.117pessoas. Cerca de 658.142 mil cidadãos utilizaram o serviço da linha gratuita Lapa-Calabar.
Quem optou pelo táxi como transporte contou com excelente oferta de veículos nos circuitos e mais de 192.369 mil foliões utilizaram o serviço. Foram realizadas 476 abordagens aos motoristas de táxis, com 75 profissionais autuados, sendo 51 por recusa de passageiro e 20 por cobranças fora do taxímetro. Já os mototaxistastransportaram mais de 200 mil passageiros.
O Elevador Lacerda, que operou gratuitamente durante a festa de Momo, transportou 215 mil pessoas. O Plano Inclinado Liberdade/Calçada transportou 40 mil pessoas cidadãos.

Transporte público

A Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) encara como positivo o resultado da Operação Carnaval 2019. Ao final da operação, é possível observar a redução nos números em diversos indicadores das ações realizadas pela autarquia. Durante o Carnaval deste ano, 472 veículos foram removidos, contra 743 em 2018, uma redução de 36% de um ano para outro, e o número de autuações registradas este ano foi de 7.845. O número de acidentes caiu 11% em 2019, finalizando o Carnaval em 144, contra 162 em 2018. Entre a quarta-feira (27) e terça-feira (05), foram registrados cinco acidentes fatais. Porém, destes acidentes apenas um teve ligação mais direta com a festa.

A faixa exclusiva para ônibus e táxis foi instalada na Avenida Centenário, entre o viaduto dos Reis Católicos e o retorno próximo ao Calabar. Entre quinta-feira (28) e o início da manhã desta quarta-feira de cinzas (06), 21.290 veículos transitaram pela faixa. Destes, 6.692 foram autuados por transitar irregularmente no local. O objetivo era estimular o uso do transporte público, melhorando a mobilidade nos circuitos do Carnaval. Os motoristas eram orientados por banners e painéis eletrônicos, além de monitores e agentes de trânsito.

Lei Seca – As blitze de Lei Seca foram intensificadas no período de Carnaval. Uma média de 380 condutores foram abordados diariamente na operação. Entre quarta-feira (27) e terça-feira (05), 2.666 condutores foram abordados pelas equipes, um número 4% maior que o abordado em 2018, quando 2.543 condutores passaram pela blitz. Foram autuados 553 condutores, sendo 290 devido ao consumo de bebida alcoólica – em 2018, 346 condutores foram autuados pelo mesmo motivo.
Condutores profissionais também participaram das abordagens de Lei Seca. A equipe de Educação para o Trânsito abordou 1.540 taxistas, 959 motoristas de ônibus, 159 mototaxistas e 1.551 motoristas a serviço da Prefeitura Municipal.

Segurança da Guarda

Em todo o Carnaval 2019, foram registrados pela Guarda Civil Municipal um total de 1.061 atendimentos e 45 ocorrências. Das 45 ocorrências registradas na Operação Carnaval, 44 pessoas foram encaminhadas à delegacias. A GCM realizou um total de 694 abordagens e 730 patrulhamentos preventivos.

Durante todo Carnaval, foram recolhidos 257 documentos e pertences pessoais, que representou uma queda 44,5%, em relação ao ano passado.Essa redução é o resultado da efetiva educação e consequentemente conscientização dos foliões sobre os cuidados com os documentos que levam para a folia.

No Carnaval 2019 foram identificadas um total 39.219 crianças com pulseiras, o que representou um aumento de 32,5% em relação ao ano passado (29.608). Nas ações preventivas, foram distribuídos 44.857 folders contendo dicas de segurança e telefones úteis para os transeuntes. Foram apreendidos 1.154 objetos perfurantes nos circuitos da folia, representando uma redução de 24,5% em relação ao ano passado.

Promoção social

As 36 equipes de trabalho e os 156 profissionais envolvidos nas ações da Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps) têm muito o que comemorar. Durante os sete dias do Carnaval de Salvador, a Semps atingiu o melhor resultado da sua história, conforme demonstram os números.

Foram cadastrados 9.777 indivíduos em vulnerabilidade social, o que representa um aumento de mais de 200% em relação ao ano de 2018. No total, 189 crianças foram encaminhadas para Casas de Acolhimentos e 5 mil pulseiras de identificação foram distribuídas. Além disso, 1.800 refeições foram distribuídas para catadores de latinha nos centros de convivência implantados pela Semps. Os Camarotes Acessíveis receberam 939 pessoas.

Fiscalização de camarotes e estruturas

Durante os seis dias de Carnaval, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur) realizou 2.567 vistorias, sendo 259 em camarotes, 521 em balcões, 22 em depósitos ou bares, 98 em trios e 410 em publicidade. Foram emitidas 333 notificações, entre elas 63 para camarotes, 44 para trios e 33 para publicidade.
Dois camarotes foram interditados. O Rotas e Festas foi interditado e desmontado por não apresentar as normas de segurança exigidas e o Bar e Restaurante Boulevard foi interditado por atuar como camarote sem licença. Já o camarote Maré Alta foi embargado por não apresentar o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), requisito para a concessão da licença de funcionamento.

A Sedur atua ainda na proteção da marca dos patrocinadores oficiais da folia e apreendeu mais de 11 mil peças publicitárias irregulares. As bebidas também foram alvo de fiscalização, e os fiscais do órgão confiscaram 11.300 unidades.

Ordenamento e iluminação

A Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop) apreendeu 32.546 itens irregulares na folia (ano passado foram 21.876). Foram lavrados 1.573 autos de infração. Entre os itens irregulares mais apreendidos estão espetinhos, vasilhame de vidro, carros de supermercado e churrasqueira, fogão ou fogareiro. Na área de iluminação, foram registradas 352 ocorrências. Foram feitas 29 novas ligações. Além disso, foram registrados 2 atos de vandalismo, um na Barra e um no Centro. O total de serviços realizados foi de 385. Já aSalvamar registrou 61 resgates no Carnaval deste ano, contra 129 do ano passado.

Poluição sonora

No quesito poluição sonora, o total de estabelecimentos vistoriados foi de 33, com 8 notificações. No total, foram 233 trios vistoriados no quesito sonoridade. O total de vistorias chegou a 154 em áreas públicas e 17 em camarotes. Além disso, os 10 palcos do Carnaval dos Bairros receberam equipes da área de poluição sonora.

Defesa do consumidor

Com 1.868 vistorias realizadas no Carnaval 2019, aCodecon ultrapassou sua meta, ampliando em 24,6% a fiscalização em relação mesmo período do ano passado, quando houve 1.499 vistorias. Ao todo, 14 estabelecimentos foram autuados desde o primeiro dia de folia, após 321 notificações emitidas pelos fiscais.

A ausência de informação sobre preço e prazo de validade de produtos é a infração mais notificada. Foram 128 ocorrências e três autuações. Entretanto, a que gerou mais autos lavrados, que podem resultar em multas para o ponto comercial, ainda foia venda de produtos vencidos ou estragados, inadequados para o consumo. Foram oito autuações entre as 15 notificações emitidas.

ACodecon notificou ainda 77 estabelecimentos por ausência do Código de Defesa do Consumidor. Outros 57 pontos comerciais descumpriram a Lei Antifumo e foram notificados. Por higiene precária ou lixeira inadequada, houve 44 notificações e duas autuações no período.

Gestão da folia

A Secretaria Municipal de Gestão (Semge) foi responsável por apoiar, do ponto de vista administrativo e logístico, as demandas das outras pastas na realização da maior festa de rua do planeta. Foram realizados concursos para a contratação de pessoal, através do Regime Especial de Direito Administrativo (Reda); a gestão do Sistema de Operações Especiais (SOE), que administra o quantitativo de servidores escalados em cada unidade, permitindo o controle do orçamento destinado para essa atividade; a gestão da frota de veículos da Prefeitura e a condição de atuação dos condutores; e contratações e licitações sistêmicas, que possibilitam o uso racional do recurso público.

Antes da realização da festa, foram realizados três processos de contratação através do Regime Especial de Direito Administrativo (Reda) para as secretarias de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps), Política para as Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ) e de Desenvolvimento Urbano (Sedur). No total foram 304 vaga de trabalho.

Foram cerca de 10 mil colaboradores da Prefeitura envolvidos, no total. Além disso, 3,5 mil veículos foram utilizados na operação e cerca de 1,6 mil testes do bafômetro foram realizados durante os 6 dias de folia entre motoristas da Prefeitura. Cada motorista fez, em média, 3 testes.

Ouvidoria Geral

Ao todo, foram registradas 8.187 demandas pela Ouvidoria Geral do Município (OGM), sendo 98,6% referente às equipes de rua e 1,4% do callcenter. Esse quantitativo é 36% maior em comparação a 2018. Destaque para o trabalho de varredura dos circuitos, em que são levantadas as necessidades de intervenções por parte dos demais órgãosenvolvidos na infraestrutura dafesta, recebendo as demandas da Ouvidoria e executado os serviços em caráter de prioridade.

Das 8.187 demandas, 6.324 foram Informações/Orientações (77,2,8%), 1.384 foram elogios (16,9%), 241 foram Sugestões (2,9%), 137 foram Solicitações de Serviço (1,7%), 99 foram Reclamações (1,2%) e 2 denúncias. Os órgãos mais demandados foram a Saltur, com 4.890 registros (59,7%);Secretaria Municipal de Saúde (SMS), com 842 (10,3%); Limpurb, com 591 registros (7,2%);Secretaria de Mobilidade (Semob), com 511 registros (6,2%);Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ), com 485 registros (5,9%); e Transalvador, com 383 registros (4,7%).

As informações mais solicitadas foram: horário dos trios, acesso a material informativo (procura sobre programação do Carnaval e orientações como acessar o Conecta Salvador), acesso a preservativos, acesso as arquibancadase sinalização dos circuitos. Os serviços mais elogiados foram: organização do Carnaval, sempre citada como muito boa; atuação da Guarda Civil Municipal;qualidade das atrações pipoca; e limpeza dos circuitos.

Comunicação da festa

A Secretaria Municipal de Comunicação (Secom) fez a cobertura do Carnaval em tempo real, disponibilizando conteúdo para a imprensa nos mais diversos formatos, além do trabalho desenvolvido através da internet e redes sociais. A Secom montou a Sala Oficial de Imprensa do Carnaval para o trabalho dos profissionais – o espaço este ano ganhou o nome de Paulo Gaudenzi–, além de 21 cabines de rádio.

No total, a Secom, que também organizou coletivas de imprensa e promoveu o atendimento aos 2,5 mil jornalistas credenciados, produziu 180 matérias sobre a festa, que não se limitaram à divulgação dos serviços da festa. Além disso, foram produzidas 50 mil fotos.

Na internet, 25 milhões de pessoas foram alcançadas pelo conteúdo produzido para essa linguagem. Houve 4,9 milhões de visualizações dos vídeos e 3 milhões de acessos ao site, com 700 conteúdos produzidos.