Gerente de restaurante em Armação impede policial de entrar e alega que foi roubado por pessoa de “cor negra”

A vereadora Marcelle Moraes se solidarizou com o amigo e policial militar Rafael dos Santos, vítima de racismo em um restaurante na última quarta-feira de cinzas no bairro de Jardim Armação, em Salvador. De acordo com uma fonte do Informe Baiano, o caso aconteceu no Restaurante Picuí. A vítima, que é tenente da PM, acionou uma guarnição e deu voz de prisão ao suspeito, que foi conduzido para a Central de Flagrantes, no Iguatemi.

O PM chegou ao local e foi impedido de entrar pela gerência do estabelecimento com a justificativa de que um “roubo” havia ocorrido no local na semana anterior por uma pessoa de “cor negra”. “A maior parte da população de Salvador é negra, um absurdo a conduta desse restaurante. Para quantos mais negros vão fechar a porta e tratar dessa forma humilhante? Aqui no Brasil somos todos uma mistura de raças e cores, é inaceitável que um cidadão seja humilhado dessa forma em pleno século 21”, argumentou.

A parlamentar que também frequentava o restaurante, não pretende mais voltar ao estabelecimento e se colocou à disposição da vítima para buscar entrar com medidas judiciais. “Eles têm que ser responsabilizados para que isso não aconteça com mais ninguém. Da minha parte, não frequentarei e muito menos vou indicar a alguém um ambiente que não se tem ética e respeito ao próximo”, afirmou.

Nas redes, um amigo compartilhou o depoimento de Fábio.

Relacionados