Também quero saber quem mandou me matar, diz Bolsonaro sobre Marielle

No mesmo dia em que suspeitos de matar a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes foram presos, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que se importa com o caso, mas também está interessado em saber quem são os mandantes do atentado à faca que sofreu durante a campanha eleitoral, em outubro de 2018. “Eu conheci a Marielle depois que ela foi assassinada. Mas também estou interessado em saber quem mandou me matar”, disse, ao cortar o assunto.

O presidente afirmou que, apesar de Marielle ter trabalhado com o filho Carlos Bolsonaro (PSC) na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), ele “nunca tinha ouvido falar” na vereadora. “Espero que realmente a apuração tenha chegado de fato a quem foram os executores, se é que foram eles, e a quem mandou matar”, afirmou o chefe do Executivo.

Bolsonaro desviou do assunto ao ser questionado sobre o fato de ter posado para foto com um dos suspeitos presos. “Eu tenho foto com milhares de policiais civis e militares, com milhares, do Brasil todo”, afirmou. Ao ser perguntado se estava surpreso com a descoberta, ele disse que não, pois é “coisa rara” as investigações de um crime não serem concluídas. “Eu acredito que não existe crime impossível [de ser solucionado]”, concluiu.