Corredores estruturantes aproximam Subúrbio Ferroviário e Orla de Salvador

Obras feitas pelo do Estado têm transformado a mobilidade urbana da capital baiana, que comemora 470 anos na próxima sexta-feira (29). As intervenções promovem agilidade na circulação de quem precisa acessar diferentes partes da capital baiana. É o caso da Linha Azul e da Linha Vermelha, corredores transversais construídos para ligar a Orla Atlântica ao Subúrbio Ferroviário.

O titular da Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Estado (Sedur), órgão responsável pelas obras, Sérgio Brito, destaca que “esses corredores fazem a ligação direta e inédita dos extremos leste e oeste da cidade, dando mobilidade ao cidadão soteropolitano, que sai do subúrbio em direção à orla e vice-versa. E eles foram pensados para serem integrados ao modal mais ágil da cidade, que é o metrô”.

Juntas, as vias somam 32 quilômetros de extensão e recebem recursos de aproximadamente R$ 1,47 bilhão. As ligações foram divididas em etapas distintas, envolvendo trechos completamente novos e duplicações. Além da pavimentação asfáltica, os sistemas são compostos por viadutos, elevados, túneis, pontes, acessibilidade e urbanismo.

Linha Azul

Este corredor começa pela Avenida Pinto de Aguiar, na Orla Atlântica, e segue por 12 quilômetros, passando pela Avenida Gal Costa, que será duplicada, e pela nova ligação entre os bairros de Pirajá e Lobato. A Linha Azul tem pista dupla, dividida em três faixas de tráfego em cada sentido, incluindo um corredor exclusivo em condições de operar pelo sistema BRT (Bus Rapid Transit). Quatro — dos oito túneis presentes no projeto — já foram concluídos.

Ainda em , a obra, que envolve investimento total de R$ 647 milhões, já teve impacto na vida de muita gente. Anderson Teixeira, segurança da Estação Pituaçu de Metrô, é uma dessas pessoas. “Esse trecho novo dá mais segurança e é acessível. Como moro na Base Naval, eu pego a Via Regional e já vou direto para o trabalho. Ficou mais rápido, porque antes eu tinha que passar pela Paralela”, explica.

A obra está 63% finalizada. Quando concluída, a Linha Azul irá se configurar como uma das maiores avenidas de Salvador, junto com a Paralela (18 quilômetros, inaugurada em 1974) e a Suburbana (14 quilômetros, inaugurada em 1971).

Linha Vermelha

Este corredor, por sua vez, faz a ligação entre a orla, na altura de Piatã, com Paripe, por meio da BR-324. O primeiro trecho, já finalizado, foi a duplicação da Avenida Orlando Gomes até a Avenida Paralela. O segundo, que também já foi inaugurado, com recursos da ordem de R$ 78 milhões, segue da Paralela até a Aliomar Baleeiro () e foi batizado como Avenida 29 de Março.

A 29 de março ainda será complementada, com trecho ligando a Estrada Velha à Via Regional e inauguração prevista para abril de 2019. A duplicação desta via até o bairro de Águas Claras, por sua vez, é o terceiro estágio de obras. A quarta e última fase é a ligação de Águas Claras à BR-324, que já foi entregue e está em funcionamento. No total, esse sistema viário possui 20 quilômetros de extensão.

O motorista de aplicativo Cristiano Nonato passa pela 29 de Março todos os dias, tanto por conta do trabalho, como para chegar até o bairro onde mora, . “Com essa nova ligação, a gente economiza tempo, desgasta menos o nosso veículo, ganha mais estrutura e mobilidade. Hoje em dia, economizo pelo menos 20 minutos para chegar em casa, vindo de Itapuã, por exemplo. Antes, tinha que pegar toda a . Hoje, a gente já sobe pela Paralela, pega um pedacinho da estrada e já chega em ”, contabiliza.

Quem também mora na região e trafega pela Linha Vermelha é o pintor predial Geraldino Sena. Assim como Cristiano, Geraldino faz o percurso diariamente, mas de bicicleta. “Eu passava por aqui quando essa via nem existia e só tinha mato. Agora, está maravilhosa, pavimentada de ponta a ponta e eu gasto metade do tempo para chegar à orla. Melhorou para todo mundo. Para mim, para quem circula de carro e para quem se locomove a pé”, assegura.

Os bairros beneficiados são Piatã, Bairro da Paz, Patamares, , Via Regional e adjacências. Na Linha Vermelha, o recurso previsto é de R$ 581,5 milhões, sendo R$ 295 milhões da Avenida 29 de Março.

Junto com Metrô de Salvador, esses corredores transversais geram novos vetores de desenvolvimento na capital. As intervenções têm conclusão total prevista para 2020.

Hemoba tem programação especial em junho de incentivo à doação de sangue

Para sensibilizar a população sobre a importância da doação regular de sangue, a Organização Mundial de Saúde (OMS) criou o Junho Vermelho, mês de incentivo à doação...

Ação rápida em Narandiba localiza trio

Um revólver calibre 32, municiado, um simulacro e um carro com placa clonada foram apreendidos, nesta sexta-feira (5), em Narandiba. Durante a ação conjunta da Delegacia de...

Bolsa Família: população pobre da região Nordeste é penalizada por Bolsonaro com cortes; Estados buscam STF

Os Estados da Bahia, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Ceará, Rio Grande do Norte, Maranhão e Piauí questionaram, mais uma vez, junto ao Supremo Tribunal Federal, a concentração de...

Prazo de coleta de dados do Censo da Educação Superior termina hoje

Termina hoje (5) o prazo para a coleta de dados do Censo da Educação Superior (Censup) 2019. A declaração deve ser feita pelo Sistema Censup por todas...