Baixa Fria de Canabrava será 100% urbanizada com investimento de R$10 milhões

Além da construção de mais 128 apartamentos e uma escola municipal, os moradores da comunidade da Baixa Fria, localizada entre os bairros de São Marcos e Canabrava, ganharam mais uma boa notícia: a localidade será 100% urbanizada pela Prefeitura. O anúncio foi feito na própria comunidade nesta quinta-feira (11) pelo prefeito ACM Neto e pelo vice-prefeito e secretário de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), Bruno Reis, ao lado de gestores municipais, vereadores e população.

O projeto integra a programação que marca o aniversário de 470 anos de Salvador. Com investimento total que supera os R$10 milhões, o conjunto de ações envolverá a construção de uma Unidade de Saúde da Família (USF) na região, com ordem de serviço para início das obras a ser assinada no próximo mês. Além disso, a Rua Manoel Bonfim, que engloba o trecho entre a Baixa Fria e a Prefeitura-Bairro Pau da Lima, na Avenida São Rafael, será completamente pavimentada.

Também será construída uma praça em uma área de 6 mil m², que terá itens como parque infantil, Academia da Saúde, quadra poliesportiva e até mesmo pista de cooper. O equipamento de convivência e lazer será erguido na área onde hoje residem as famílias que serão beneficiadas com os novos apartamentos.

Transformação – O prefeito lembrou a luta para mudar a situação dos moradores, que viviam uma situação completamente insalubre: as casas eram improvisadas com papelão e não havia qualquer acesso a equipamentos e serviços públicos. A construção da primeira etapa do conjunto habitacional, com 230 residências entregues em 2017, havia passado antes por problemas que envolveram erros de elaboração e execução do projeto.

“Foi enfrentada a primeira etapa, que já conseguiu mudar a vida de muitas pessoas que vivem nesse conjunto. A Prefeitura completa esse compromisso dando condições a outras pessoas, além da oferta de outros equipamentos e serviços públicos que vão chegar para a comunidade. A intenção é trazer dignidade, paz, segurança e principalmente qualidade para a vida dessas pessoas”, afirmou o prefeito.

A doméstica Margarida Silva, de 54 anos e há 32 deles como moradora da Baixa Fria, relatou como era a situação do local antes das intervenções municipais. “Eu morei em barraco de madeira, só entrava rato, tinha um filho de três anos, esse tempo de chuva era pior, até em caixa tinha que guardar as roupas porque perdia os móveis. Hoje, para mim, está sendo ótimo porque nem vejo a chuva quando estou dormindo. Eu e todos os moradores daqui estamos felizes com a primeira e, agora, a segunda etapa que vai ser entregue em breve”.

Escola – Os apartamentos serão construídos pela Seinfra, sob a coordenação da Superintendência de Obras Públicas (Sucop). Será investido quase R$ 7,4 milhões. A verba é fruto de investimento do governo federal com contrapartida municipal.

Esta fase do projeto compreende a edificação de oito prédios, sendo cada unidade com quatro pavimentos – o andar térreo e mais três superiores. Está prevista a construção de dois apartamentos com dois dormitórios por andar, totalizando 16 unidades por prédio.

O conjunto habitacional será contemplado com uma escola. Serão dois pavimentos com cinco salas de aula, área de recreio, ambulatório, cantina/cozinha. A instituição de ensino será construída em uma área de 372,64m² sendo 186,32m² por pavimento. A princípio, a unidade escolar ofertará o Ensino Fundamental I e atenderá crianças de 6 a 11 anos.

O vice-prefeito salientou que as obras estão previstas para serem entregues em um ano. “Mas, já pedimos à empresa que executará a construção para tentar antecipar esse prazo. Além disso, fizemos um pedido para que sejam empregadas na obra pessoas da própria comunidade”, pontou Bruno Reis.

Primeira etapa – A primeira etapa do conjunto habitacional na Baixa Fria foi entregue pela Prefeitura em 2017. Além das 230 residências, a Prefeitura requalificou o entorno do conjunto com a construção de nova rede de drenagem, implantação de arborização e calçamento das ruas, da rede de abastecimento de água e de esgotamento sanitário.

Também foram instaladas estação de tratamento de esgoto e de rede de energia elétrica, assim como urbanização com criação de passeio, meio-fio e estabilização de taludes.