Alerta: saiba o que fazer se for picado por animal peçonhento

Mesmo nas grandes cidades é preciso tomar cuidado com incidentes com animais peçonhentos, em especial os escorpiões, que estão aparecendo com mais frequência.

Para diminuir os riscos, alguns cuidados básicos podem ser tomados, como manter os quintais, terrenos baldios e jardins limpos. É importante não acumular entulho e lixo doméstico, aparar grama dos jardins e recolher as folhas caídas.

Coloque o lixo em sacos plásticos, que devem ser mantidos fechados para evitar o aparecimento de moscas, baratas e outros insetos, que são os alimentos favoritos dos escorpiões.

A diarista Clélia Rosa foi picada por uma Jararaca dentro de sua casa. “Primeiro procedimento que a gente deve tomar é ir para o hospital, mesmo que você não tenha certeza de qual bicho te picou. Depois é muito importante sempre olhar muito para o chão e prestar atenção onde pisa”, alerta.

Em caso de picada de cobra, por exemplo, é recomendável lavar o local com água e sabão, sem aplicar qualquer tipo de produto ou medicação. No caso da ferroada de escorpião, a primeira medida é colocar compressas de água morna sobre a ferida. Já com aranhas ou queimaduras de taturanas, não mexa no ferimento e procure atendimento médico imediatamente.

“Mantenha primeiro a tranquilidade, no máximo lavar o local da picada com água e sabão e a pessoa deve procurar um serviço médico mais próximo de sua residência para que o diagnóstico desse acidente seja feito e verificar se há necessidade ou não de tomar um soro para inativar o veneno”, explica o diretor médico do Hospital Vital Brasil, Carlos Roberto de Medeiros.

De acordo com o médico Anthony Wong, do Centro de Assistência Toxicológica do Hospital das Clínicas da FMUSP, em casos de picadas em crianças e adolescentes, os pais precisam ter calma e, principalmente, observar as características do animal.

“O escorpião brasileiro é venenoso, mas não é fatal. Em adultos, a picada do bicho provoca muito dor, mas em 98% dos casos o controle pode ser feito por anestésicos ou analgésicos. Já crianças ou adolescentes até 15 anos são bem mais suscetíveis ao veneno tanto da cobra quanto do escorpião e da aranha”, afirma.

O biólogo Giuseppe Puorto alerta que “é fundamental que as pessoas sigam essas recomendações em casos de acidentes com animais peçonhentos e procurem, o quanto antes, o serviço médico mais próximo”.