“Diálogos inteiros podem ter sido forjados por hacker”, diz Lava Jato

A força-tarefa Lava Jato do Ministério Público Federal no Paraná afirmou, nesta quarta-feira (12/06/2019), que “diálogos inteiros podem ter sido forjados pelo hacker ao se passar por autoridades e seus interlocutores”. “Uma informação conseguida por um ‘hackeamento’ traz consigo dúvidas inafastáveis quanto à sua autenticidade, o que inevitavelmente também dará vazão à divulgação de fake news.”

Os procuradores ressaltam que as “investidas criminosas contra celulares de autoridades de diferentes instituições da República continuam a ocorrer com o claro objetivo de atacar a Operação Lava Jato”.

“Mais uma vez, na noite da última terça-feira, 11 de junho, um hacker, passando-se por um integrante do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) cuja identidade virtual havia sequestrado, entabulou conversas com outras autoridades e ainda em grupos de aplicativos de trocas de mensagens eletrônicas. Distorcendo fatos, o hacker enviou mensagens com o objetivo claro de desacreditar a imagem de integrantes da força-tarefa, estimulando ainda que seu interlocutor as compartilhasse com o viés de ‘queimar a imagem’ dos integrantes do MPF”, alegam.

“A divulgação de supostos diálogos obtidos por meio absolutamente ilícito, agravada por esse contexto de sequestro de contas virtuais, torna impossível aferir se houve edições, alterações, acréscimos ou supressões no material alegadamente obtido.”
Ataque segue

A Lava Jato afirma haver “notícia de ataques a jornalistas, integrantes do Poder Executivo e do Poder Judiciário e conselheiros do CNMP”. “Os relatos dos fatos foram incluídos nas investigações em curso, e a força-tarefa, em virtude da continuidade dos ataques, redobrou as cautelas de segurança.”

“O ataque em grande escala, em plena continuidade, envolvendo integrantes do Ministério Público, Poder Judiciário, Poder Executivo e imprensa, revela uma ação hostil, complexa e ordenada, típica de organização criminosa, agindo contra as instituições da República. É necessário não apenas identificar e responsabilizar o hacker, mas também os mandantes e aqueles que objetivam se beneficiar desses crimes a partir de uma ação orquestrada contra a operação Lava Jato”, afirmam.

A força-tarefa da Lava Jato em São Paulo disse que “os procuradores da República Thaméa Danelon e Andrey Borges de Mendonça sofreram tentativa de invasão em seus celulares funcionais no mês de maio”. “Na ocasião, o ataque foi prontamente percebido e bloqueado por ambos. Na época, os dois procuradores já não integravam a Força Tarefa da Lava Jato em São Paulo.”

Ultimas Noticias

Ingresso para a final da Copa Libertadores custará a partir de...

A Conmebol iniciou nesta quarta-feira o processo para compra de ingressos para as finais da Copa Libertadores e da Copa Sul-Americana. Para a principal...

SAC Vitória da Conquista II vai funcionar em novo endereço

A partir desta quarta-feira (21), moradores de Vitória da Conquista e região não podem agendar serviços no SAC Conquista II. É que o posto...

Para Maia, privatização da Eletrobras vai garantir mais recursos para investimentos

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, afirmou nesta quarta-feira (21) que a privatização da Eletrobras vai garantir mais recursos para investimentos no...

Lúcio Pinto acelera articulações para viabilizar candidatura a Prefeito em Porto...

Após ser confirmado pelo Deputado Federal Uldurico Júnior (PROS) como candidato da família Pinto à Prefeitura de Porto Seguro, o empresário Lúcio Caires Pinto...
Publicidade