Em Salvador, Cacique Raoni faz defesa dos direitos dos povos indígenas

Fotos: Carol Garcia

O Cacique Raoni está em Salvador para participar do carnaval na capital baiana e nesta quarta-feira (19), participou de entrevista coletiva com a imprensa no Palacete das Artes. Na ocasião, também foi realizada uma prévia da 1ª Mostra de Interação do Artesanato Indígena: Bahia & Xingu. A exposição será montada após o carnaval sob gestão da Coordenação de Fomento ao Artesanato da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre).

O líder indígena foi recepcionado pelo secretário da Setre, Davidson Magalhães, o secretário de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), Carlos Martins, pelo cantor e compositor Edu Casanova, além de representantes de outros setores da sociedade civil. A vinda do Cacique Raoni à Bahia tem apoio do Governo do Estado, por meio da Setre em parceria com o Instituto Intercultural do Brasil ABD-EREMIM.

O secretário da Setre, Davidson Magalhães, pontuou o apoio para a vinda do cacique, bem como para a exposição. “Com essa mostra estamos fazendo a integração dessa produção do artesanato indígena da região amazônica com o trabalho feito pelos índios na Bahia. É ação que fortalece a vertente do artesanato indígena, uma atividade produtiva, no momento em que nós vemos todo o patrimônio cultural e físico da população indígena sob risco”.

A realização da mostra tem por finalidade a promoção, valorização e interação dos artesãos de etnias existentes na Bahia com outros povos indígenas. Entre estes estão os índios kiriris, Pataxós Hãhãhães e Tupinambás.

Para o secretário da SJDHDS, Carlos Martins, AA visita do Cacique Raoni é motivo de satisfação. “A presença do cacique Raoni reforça a disposição de apoiar a causa indígena, e questões que envolvem a demarcação de terras, a proteção aos povos indígenas, bem como a sua cultura e liberdade. A Bahia é a terra da alegria, mas também é a terra da liberdade, do respeito e da resistência.”

Raoni participará do carnaval ao lado de Edu Casanova no domingo (22) e na segunda (23) no Circuito Osmar (Campo Grande). O músico ressaltou a importância da presença de Raoni. “Eu costumo dizer que Raoni é a natureza viva e ele representa isso tudo. O carnaval também é espaço onde podemos pensar e entender um pouco sobre a existência humana nessa terra. Essa também é uma homenagem aos blocos afros e indígenas que sempre fizeram parte do nosso carnaval. E queremos fazer uma festa de paz e alegria”.

O Cacique Raoni ficou conhecido pela luta em defesa da preservação da Amazônia e dos povos indígenas e já foi indicado ao Prêmio Nobel da Paz.

Mulheres que atacaram 9 supermercados em Remanso são presas

Investigadores da Delegacia Territorial (DT/Remanso) prenderam, na sexta-feira (14), duas mulheres suspeitas de furtos em, pelo menos, nove estabelecimentos comerciais da cidade. Uma delas foi flagrada dentro...

Estudo investiga como começa e evolui o câncer de esôfago

Estudo inédito internacional sobre alterações epigenéticas de pacientes com câncer de esôfago constatou que os pacientes analisados, originários de diferentes regiões do mundo com alta incidência desse...

Cristo recebe iluminação para incentiva a vacinação contra a covid-19

O monumento do Cristo Redentor no Rio de Janeiro recebe, neste sábado (15), iluminação especial promovida pelo Movimento Unidos Pela Vacina. A ação, que acontecerá entre...

Homem matou vítimas a facadas e incendiou corpos

Suspeito de praticar dois homicídios, sendo um deles nesta última segunda-feira (10), foi preso na manhã desta sexta-feira (14), por policiais da Delegacia Territorial de Paulo Afonso,...