Coronavírus: Cidade Baixa acende sinal amarelo e bairros de Daniel Lisboa e Calabar são o que mais preocupam

Secretário municipal de Saúde, Leo Prates participou na noite de terça-feira (05/05) da Live do Informe Baiano e falou sobre o combate ao coronavírus em Salvador. O gestor afirmou que a curva “continua em ascendência, apesar da redução”. Inicialmente, foi 10 a 11% e agora está em 7,5%. O objetivo é achatar para 6,5%.

Entre os distritos mais problemáticos está o de Brotas, que registra o maior número de casos: 92. A Pituba é o bairro que concentra mais confirmações: 67.

Sobre as áreas populares, Leo explicou que o bairro de Daniel Lisboa é, atualmente, o que mais preocupa. Ele também afirmou que o Calabar, apesar de ter apenas um caso confirmado, também está em alerta, pois fica entre localidades nobres, onde o coronavírus foi iniciado.

O secretário também relatou estar surpreso com o distrito de Itapagipe (Cidade Baixa), que “acendeu o sinal amarelo”, pontuou. A região concentra 32 casos no Bonfim, 26 no Uruguai, 14 na Ribeira, 6 no Jardim Cruzeiro, 2 no Mont Serrat e 2 em Roma. Com isso, são 82 casos confirmados. Veja abaixo os dados divulgados pelo secretário ontem via Instagram.

Unidades móveis da Hemoba fazem coleta de sangue em Salvador e Feira de Santana nesta semana

As próximas paradas das unidades móveis serão em Feira de Santana, na próxima segunda-feira (21), e de terça (22) a sexta-feira (25) no Shopping Ponto Alto, na...

Brasil registra 739 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas

O Ministério da Saúde (MS) atualizou no início da noite deste sábado (19) os dados do novo coronavírus (covid-19) no país. Segundo o boletim epidemiológico, 136.532 pessoas...

Tratamento de cardiopatias não piora quadro de covid-19, diz estudo

Um estudo desenvolvido pelo Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino e pelo Brazilian Clinical Research Institute (BCRI) aponta que suspender tratamentos com inibidores da enzima de conversão...

Primeira onda da covid-19 deve acabar em outubro, aponta estudo

A transmissão da covid-19 segue a mesma sazonalidade de outras doenças respiratórias, como H1N1 e gripe Influenza. Com isso, o Brasil e o Hemisfério Sul devem passar...