Solla pede pressão para que Maia acate impeachment

O deputado federal Jorge Solla (PT-BA) comemorou a união dos partidos de oposição na pauta pelo impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Nesta quinta (21), PT e mais sete partidos e 400 entidades da sociedade civil apresentaram um pedido de afastamento do presidente, apresentando como motivo a prática de seis crimes durante o exercício do mandato.

“Bolsonaro já não disfarça mais, está em sua marcha golpista e, se o Congresso não pará-lo agora, chegará em breve o dia que não terá mais poder para fazê-lo. Ele já ameaça hoje colocar as Forças Armadas em ação em caso de impeachment, falou isso numa reunião ministerial. Ele está usando insanamente seu poder para interferir na PF e obstruir toda e qualquer investigação contra ele e sua família, além de montar um aparelho para perseguir adversários, como denunciou o ex-ministro Bebianno antes de morrer”, destacou Solla.

O petista destaca os crimes que teriam sido praticados pelo presidente, que estão em investigação na Procuradoria-Geral da República (PGR), como a “advocacia administrativa” e a “obstrução de justiça” no caso da interferência na PF, e a montagem de uma indústria de fake-news com cargos públicos. O petista também ressalta os crimes cometidos contra a saúde pública, ao estimular atitudes que ampliam a disseminação do coronavírus.

“Não dá validar comportamentos como esses como parte do jogo da democracia, qualquer omissão hoje é conivência. É preciso que fique muito claro para o presidente Rodrigo Maia que o impeachment une um forte arcabouço jurídico com um clamor popular. Chegou a hora dos milhões de brasileiros manifestarem nas redes sociais, nas janelas de casa, da forma que puder”, completou Solla.

Últimas Noticias

Mega-Sena acumula e próximo concurso deve pagar R$ 27 milhões

O concurso 2.509 da Mega-Sena, realizado nesta quarta-feira (10) no Espaço Loterias da Caixa em São Paulo, não teve...