Ex-camelô, Roberto Carlos propõe criação de programa de ajuda financeira aos trabalhadores informais

O deputado Roberto Carlos (PDT) apresentou ao governador Rui Costa uma indicação para que o Estado garanta uma ajuda financeira aos trabalhadores informais de 300 mensais, por um período de três meses, por meio da criação do “Programa Socorro Alimentar”, através da Superintendência de Assistência Social – SAS, de forma excepcional, em virtude do estado oficial de calamidade pública da Bahia, causado pela pandemia do novo coronavírus.

De acordo com a proposição, o objetivo é socorrer os trabalhadores que não têm emprego formal, garantindo-lhes as condições mínimas de sobrevivência, uma vez que essa categoria foi extremamente afetada. “Fui camelô e sei que o trabalho informal de rua é caracterizado, na maioria dos casos, pela sobrevivência imediata, visto que, muitos ‘vendem hoje para comer amanhã’ e não possuem poupança”, enfatizou o deputado Roberto Carlos.

Ao Informe Baiano, o parlamentar acrescentou que o projeto abrange mais de 40 categorias de informais e autônomos, como por exemplo, feirantes, artistas de diversas áreas, jogadores de esportes, jornalistas, radialistas, baiana de acarajé, picolezeiros, baleiros e ambulantes.

O pedetista ressaltou também a importância desta política de assistência para viabilizar recursos capazes de promoverem a proteção social e familiar dos trabalhadores informais quanto ao direito à alimentação. “Tenho acompanhado de perto a atuação do governador Rui Costa em defesa da vida dos baianos e como vice-líder do Governo na Assembleia Legislativa da Bahia, sinto-me honrado em contribuir, apontando caminhos, criando as conduções necessárias para o devido enfrentamento da epidemia do coronavírus e sei que este projeto é de suma importância”, pontuou o deputado Roberto Carlos.

Últimas Noticias

Cidade que vacinou 100% dos adultos não tem morte por Covid há 7 meses

O município de Guaramiranga (CE), a cerca de 105 km de Fortaleza, comprova a eficácia das vacinas contra a...