De Cajacity para o mundo! Baiana é aprovada em seis universidades estrangeiras

A baiana Ana Carla Carlos está prestes a arrumar as malas e partir para mais um desafio da sua vida. Aos 30 anos, a soteropolitana foi aprovada em mestrados nas áreas de Estudos do Desenvolvimento e Políticas Públicas em seis universidades estrangeiras que estão entre as melhores do mundo, incluindo a Universidade de Chicago. A primeira opção da especialista em gestão de projetos e internacionalista é cursar Estudos de Desenvolvimento no concorrido Instituto Universitário de Altos Estudos Internacionais e Desenvolvimento (IHEID), na Suíça. A instituição é renomada e de excelência na Europa.

“Escolhi como primeira opção o IHEID, pois possui um programa excelente e é o que está mais alinhado com os meus objetivos profissionais, oferecendo um ambiente multicultural de intenso compartilhamento de experiências, oportunidades de networking, linhas de pesquisa e muitas atividades realizadas em parceria com as Nações Unidas”, ressalta Ana Carla, que morou toda sua infância em , bairro mais populoso da capital baiana, e parte da adolescência em Mussurunga.

Para poder ir representar a Bahia e o em uma das melhores universidades do mundo, Ana lançou uma vaquinha virtual para receber ajuda e conseguir pagar os altos custos com moradia, alimentação, saúde e transporte durante todo o período que estiver estudando fora do país. A doação pode ser feita através do link www.catarse.me/ajude_ana_a_estudar_na_suica. Será aceito qualquer valor acima de R$ 20. Os doadores receberão recompensas, que depende da quantia doada.

Quem quiser doar valores abaixo de R$ 20 tem a opção de doar diretamente em conta bancária. Outras formas de ajudar a Ana é participando do bazar de livros e do brechó, com produtos custando entre R$ 5 e R$ 40 reais. Todos os valores recebidos serão atualizados manualmente no Catarse. Dados bancários e informações sobre as formas alternativas para doação podem ser conferidas também no perfil do @ajudeanaaestudar.

Ana Carla assumiu o compromisso de retribuir, após a conclusão do seu mestrado, todo o valor recebido em doações para outros estudantes com trajetória de excelência, para que tenham também a oportunidade de estudar em universidades de ponta. “Eu acredito muito no poder da corrente do bem e acredito que é minha responsabilidade retransmitir esse apoio a outras pessoas, multiplicando ações positivas na sociedade”, destaca ela.

De Cajacity para o mundo

A trajetória de Ana Carla pode ser definida em vários adjetivos. Um deles é persistência. Mesmo tendo uma vida simples no bairro de , ela conseguiu estudar em colégios tradicionais da capital baiana por muito esforço da , que completou o ensino médio apenas aos 32 anos.

A grande diferença de realidade entre os colegas da escola e os seus vizinhos despertou o seu interesse por políticas públicas. Na faculdade, ela cursou Relações Internacionais e, com muito esforço e desafios, fez intercâmbios para Argentina e Canadá, trabalhou na Prefeitura Municipal de Salvador, em uma empresa privada, e de 2015 a 2019 foi consultora do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em Salvador. Se especializou em Gestão de Projetos na Fundação Getúlio Vargas (FGV) e desenvolveu estratégias para aperfeiçoar políticas públicas para infância e adolescência em nível municipal.

Mesmo com toda estas experiências acumuladas, ela percebe que ainda falta conhecimento mais profundo sobre estudos de desenvolvimento e políticas públicas, para que ela possa multiplicar o seu impacto na sociedade. Por isso, estudar em uma das seis universidades estrangeiras que conseguiu vaga, após muito esforço e dedicação, é tão importante para confirmar sua trajetória concisa, de muita resiliência, propósitos claros e de quem faz acontecer.

Mas não para por aí. O objetivo da baiana é voltar para o e aplicar todo o seu conhecimento. “A partir do mestrado, eu quero desenvolver as minhas próprias reflexões e estratégias para gerar ainda mais impacto na minha comunidade. Desde nova, eu tenho a certeza de que o meu propósito é mudar a vida das pessoas, especialmente aquelas mais vulneráveis, e contribuir para reduzir desigualdades em todos os sentidos, garantindo que outras pessoas também tenham as oportunidades que eu tive”, esclarece Ana Carla, que na época de faculdade estagiava e vendia pen drive e capas de celular para conseguir realizar o sonho de realizar um intercâmbio e apender inglês.

Adriana Araújo deixa Record e revela atritos

Na últimas semana, a jornalista Adriana Araújo deixou a bancada do “Jornal da Record” e foi transferida para o “Repórter Record Investigação”, pegando os telespectadores da emissora...

Cantor Pablo faz transplante capilar após dano com secador e excesso de químicas

O cantor Pablo resolveu aproveitar o período de distanciamento social e o cancelamento dos shows, por conta da pandemia do coronavírus, para se submeter a uma cirurgia...

Ansel Elgort fala sobre relacionamento com fã e nega estupro

O ator Ansel Elgort, de "A Culpa é das Estrelas", utilizou o Instagram para negar as acusações de abuso sexual. Ele afirmou que teve um relacionamento consensual com...

Artistas se unem em defesa de indígenas ameaçados pelo coronavírus

Um concerto que será transmitido ao vivo pela internet hoje (21), às 16h, reunirá artistas da música brasileira e internacional para apoiar os indígenas de florestas tropicais...