Adriana Araújo deixa Record e revela atritos

Na últimas semana, a jornalista Adriana Araújo deixou a bancada do “Jornal da Record” e foi transferida para o “Repórter Record Investigação”, pegando os telespectadores da emissora de surpresa. Nas redes sociais, a jornalista decidiu esclarecer a mudança e citou que ocorreram “discordâncias momentâneas”, que supostamente motivaram a situação.

Não tem trabalho sem perrengue, não tem trabalho sem desafio, sem discordância. Mas uma discordância momentânea não pode apagar o brilho de tanta coisa boa que eu vivi e construí ali”, disse, sem entrar em detalhes sobre os bastidores.

No desabafo, Adriana disse que não se sentia “rebaixada” por estar assumindo uma outra função no canal. “Isso já aconteceu várias vezes na minha trajetória da TV. Em 2002, quando saí de Belo Horizonte, eu era repórter do ‘Jornal Nacional’ e me tornei repórter do ‘Jornal Hoje’, em Brasília. Eu cheguei a ouvir de amigos: ‘Ah você vai sair do horário nobre, é uma mau negócio’. E na verdade, nunca foi. Eu não teria sido apresentadora do ‘Jornal da Record’, se não tivesse sido repórter do ‘Jornal Hoje’”.

Transferida para a função de repórter, a profissional disse que agora enxerga o “fim de um ciclo como apresentadora do ‘Jornal da Record’ e um começo de um novo caminho”. E completa: “O que a gente precisa ter é a clareza do caminho. E eu enxergo, claramente, que o caminho me leva para outros momentos agora. E serão momentos bons. […] A única coisa que foi difícil na redação, foi que você não pode abraçar. Isso a pandemia traz de bem pesado. Você agradecer, olhar nos olhos das pessoas e não poder abraçar, foi difícil”.

Vale lembrar que em abril deste ano, Adriana chegou a ser afastada do telejornal da Record. De acordo com o site ‘Notícias da TV’, a decisão da emissora em tirar a profissional da televisão surgiu após supostamente a jornalista expor seu descontentamento com a linha editorial adotada no noticiário noturno. O canal religioso vem abertamente se manifestando pró-governo Bolsonaro.

A jornalista não queria ter sua imagem associada a reportagens de cunho governista e, por este motivo, não teria concordado com a forma que o noticiário tratava a questão da pandemia, deixando de divulgar informações de interesse do telespectador.

Nas redes sociais, a jornalista chegou no Instagram os dados de infectados e óbitos por Covid-19 no país. “Em plena pandemia, é preciso transparência com os números. É uma questão de saúde pública”, escreveu na legenda.

Brasil chega a 15,19 milhões de casos e 422,3 mil mortes por covid-19

O Brasil registra, até o momento, 422.340 mortes por covid-19. Em 24 horas, foram confirmados 1.024 óbitos e 38.911 novos casos. No total, 15.184.790 casos foram diagnosticados...

Motorista flagrado com 1500 munições de fuzil

Uma carga com 1500 munições de fuzil AK e uma pistola Glock 9mm com dois carregadores foi apreendida pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) na tarde deste domingo(09/05),...

Governo baiano prorroga toque de recolher até 17 de maio

O Governo do Estado decidiu prorrogar a restrição da locomoção noturna de pessoas das 21h às 5h, em toda a Bahia, até o dia 17 de maio....

Festa de aniversário termina com 7 mortos

Sete pessoas morreram, neste domingo (09/05), durante um tiroteio em uma festa de aniversário, onde família e amigos se juntaram, em Colorado Springs, nos EUA. A polícia...