Desenbahia avaliará proposta para o Transporte Escolar

Representantes do segmento de transporte escolar da Bahia se reuniram, através de uma audiência virtual, na manhã desta quinta-feira (25.06), com o presidente da Agência de Fomento do estado da Bahia – Desenbahia, Francisco Miranda, o diretor de Operações, Paulo Costa, o diretor de Negócios, Agenor Martinelli, o gerente de Negócios da agência, Marco Silva, e a deputada estadual .Olívia Santana, com intuito de discutir uma linha de crédito específica da Desenbahia, que ajude os trabalhadores e trabalhadoras do segmento durante a pandemia da Covid-19.

Durante sua fala, a deputada Olívia Santana agradeceu a atenção da Desenbahia e lembrou da importância de uma alternativa de crédito para o segmento, que teve sua atividade totalmente inviabilizada com a pandemia. “Este segmento é o único, do ramo de transporte, que teve suas atividades 100% suspensas. Além da sobrevivência diária, eles estão enfrentando as dívidas e recebendo ameaças do sistema financeiro, em relação à tomada de veículos que estão com prestações atrasadas”.

O vice-presidente da Federação Brasileira de Transporte Escolar, Carlos Eduardo ressaltou que o trabalho do transporte escolar é uma renda estritamente familiar e precisa de um olhar mais específico. “É muito triste a forma com que o Governo Federal tem olhado para a pandemia. A maior parte destes trabalhadores não entraram no auxílio emergencial devido ao limite de renda anual. Os bancos estão pressionando o pagamento das dívidas, ameaçando tomar os veículos, a pressão está muito grande. O que esperamos da Desenbahia é que tenha um olhar específico, como sempre teve, no sentido de garantir uma renda mínima para estes trabalhadores. Essa proposta do financiamento, empréstimo ou antecipação é uma alternativa mais que justa e esperamos que os senhores implementem”, declarou Carlos Eduardo.

Durante a conversa foi pontuado que outros estados também estão estudando a proposta, e alguns já implementaram.
O diretor presidente da Desenbahia, Francisco Miranda, enfatizou que a instituição está renegociando contratos do segmento do transporte escolar, taxistas e outros clientes, sem cobrar mora, e não está abrindo nenhum processo de restrição judicial. Quanto ao pleito da categoria, o presidente afirmou que a questão será estudada pela Desenbahia. “ Teremos uma reunião com o conselho na próxima semana e vamos levar este assunto para estudar como poderá ser feita a ajuda. É importante que seja encaminhada uma proposta do segmento para nos subsidiar nesta reunião que teremos com o conselho”.

A categoria sinalizou que até amanhã enviará uma proposta para os 1.800 trabalhadores e trabalhadoras do segmento de transporte escolar, na Bahia.

Últimas Noticias