Obras da Linha Azul seguem em andamento e atraem negócios para a região

Por Raul Rodrigues
Fotos: Carol Garcia

As obras da Linha Azul, que compreendem a ligação Lobato Pirajá, a duplicação da e a ligação com a Avenida Pinto de Aguiar, estão em andamento e já valorizam os imóveis no entorno. Além dos canteiros de obras da própria via, já há às margens da um posto de gasolina pronto, aguardando para ser inaugurado, e outras construções.

Com o investimento de aproximadamente R$ 640 milhões do do Estado, a Linha Azul é um corredor de tráfego com extensão de aproximadamente 12 quilômetros que interliga a orla atlântica, na altura de Patamares, até a Avenida Suburbana, na altura do Lobato, compreendendo a Avenida Pinto de Aguiar, já executada em etapa anterior, a , em fase de duplicação, e a ligação Lobato Pirajá, também concluída.

O diretor de Infraestrutura e Edificações Públicas da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado (Conder), Francisco Fonseca, explica que a obra foi dividida em seis etapas. “Estamos agora em simultânea das etapas dois, três, quatro e cinco. A etapa cinco, que é a de maior extensão, tem aproximadamente 3,5 quilômetros e nós estamos na fase de movimentação de terra, com macrodrenagem e terraplanagem. Nós já concluímos a etapa seis, que é a interligação entre a Avenida Pinto de Aguiar e a , e também já executamos a etapa um, que é a ligação Lobato Pirajá, que interliga o Terminal Pirajá à Avenida Suburbana”.

Francisco Fonseca destaca os benefícios que a obra vai proporcionar. “São três faixas por sentido em uma pista dupla na , sendo uma exclusiva para transporte coletivo. Temos também oito túneis e nove elevados. O percurso entre a Orla Atlântica e o Subúrbio se dava pela região do Shopping da Bahia, levando até duas horas de deslocamento, em transporte coletivo. Com a obra pronta, esse trecho será feito em aproximadamente 15 minutos. Além do vetor de desenvolvimento que se cria no entorno da , os moradores do subúrbio terão muito mais facilidade para se deslocar para este lado da cidade”, afirma.

Comerciantes e empresários já começam a implantar negócios, para aproveitar o novo vetor de desenvolvimento econômico em que toda a região está se transformando. O empresário Moisés Bonfim afirma que a duplicação da , próximo à Brasilgás, onde tem um terreno, já valorizou seu imóvel. “Há nove anos eu tinha este espaço, funcionando como garagem de caminhões. Com a obra, que já melhorou o aspecto e o movimento da região, eu resolvi abrir um comércio que vai gerar 11 empregos diretos. Estamos esperando apenas passar a pandemia e aproveitando este para nos organizarmos melhor. A obra está muito bonita, vai beneficiar os baianos com essa avenida que será praticamente uma via expressa”.

Fiscalização da fase dois da retomada de atividades será rigorosa

Força-tarefa da Sedur inicia ações na segunda (10) pela manhã com atenção especial a bares e restaurantes Agora é oficial. Já poderão reabrir na segunda-feira (10) as...

Lei Maria da Penha: subnotificações escondem número real da violência

A Lei Maria da Penha, importante instrumento de combate à violência contra a mulher, completou 14 anos nessa sexta-feira (7). Não há, no entanto, motivos para comemorar....