Campanha de vacinação contra sarampo em adultos vai até o final de agosto

Quem tem entre 20 e 49 anos tem até o dia 31 de agosto para se vacinar na quarta etapa da Mobilização Nacional de Vacinação contra o Sarampo, do Ministério da Saúde. A vacina está disponível em 43 mil postos de saúde de todo o País e é a principal medida de prevenção e controle contra a doença.

São mais de 90 milhões de pessoas nesta faixa-etária. Até o dia 15 de julho, apenas 4,2% desse público-alvo havia sido vacinado. Por isso, o ministério alerta sobre os riscos da doença e a importância da imunização.

O sarampo é uma doença grave, especialmente para as crianças, e de alta transmissibilidade. De acordo com o Ministério da Saúde, uma pessoa infectada pode transmitir para até outras 18 pessoas. A disseminação do vírus não precisa de contato direto, pois ocorre por via aérea ao tossir, espirrar, falar ou respirar. Os sintomas são manchas vermelhas no corpo e febre. A doença pode trazer complicações como pneumonia e infecção de ouvido e, nas crianças, pode causar encefalite e levar a morte.

Dados do Ministério da Saúde mostram que, neste ano, até 27 de junho, foram confirmados 5.642 casos de sarampo em 21 estados. Até essa data, o Brasil permanecia com surto de sarampo nas cinco regiões, com 11 estados com circulação ativa do vírus.

Cuidado desde cedo
Nas outras etapas da Mobilização Nacional de Vacinação contra o Sarampo, foram imunizadas crianças de seis meses até os adultos de 29 anos. A historiadora Letícia Barreto tem uma filha de um ano e oito meses, Elis Regina, e mantém a caderneta de vacinação em dia. Logo nos primeiros dias de vida da filha, ela procurou o posto de saúde para dar as vacinas e conta que recebeu orientação dos profissionais sobre a importância da imunização.

“Conversei muito com a enfermeira e ela me tirou várias dúvidas sobre a importância da vacina como uma forma de proteger. Explicou que em alguns lugares doenças estavam erradicadas, mas, infelizmente, a consciência dos pais tem diminuído quanto à necessidade da vacinação e algumas doenças estão voltando”, relatou.

Vacinação na pandemia
A vacinação contra o sarampo é uma estratégia para interromper a transmissão e eliminar a circulação do vírus no Brasil. Por isso, mesmo com a pandemia do novo coronavírus, o Ministério da Saúde orienta as pessoas entre 20 e 49 anos a participarem da mobilização nacional e se vacinarem.

Foram enviadas aos postos de saúde 4,3 milhões de doses de vacina, além do quantitativo disponibilizado para o atendimento de rotina.

Mitos sobre a vacinação
As vacinas são importantes para a saúde, mas ainda há muitos mitos sobre elas que precisam ser derrubados.

Um deles é que as vacinas têm efeitos colaterais de longo prazo que ainda são desconhecidos e podem até ser fatais. O Ministério da Saúde esclarece que as vacinas são seguras e, a maioria das reações são pequenas e temporárias, como um braço dolorido ou uma febre ligeira. Já sem a imunização, se uma pessoa contrai sarampo pode ter como consequência, por exemplo, encefalite e cegueira.

Outro mito é que as doenças evitáveis por vacinas estão quase erradicadas do País, por isso não há razão para a vacinação. De acordo com o ministério, embora as doenças evitáveis por vacinação tenham se tornado raras em muitos países, os agentes infecciosos que as causam continuam a circular em algumas partes do mundo. Desde 2005, por exemplo, na Europa Ocidental ocorrem focos de sarampo em populações não vacinadas.

Também não é verdadeiro que é melhor ser imunizado por meio da doença do que por vacinas. O Ministério da Saúde informa que as vacinas interagem com o sistema imunológico para produzir uma resposta semelhante àquela produzida pela infecção natural, mas não causam a doença ou colocam a pessoa imunizada em risco de possíveis complicações.

Bahia registra 1.833 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 1.833 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de (+0,6%) e 1.857 curados (+0,7%). Dos 301.248 casos confirmados desde o...

Hospital do Câncer em Caetité será entregue em novembro

Com 90% das obras concluídas, o Hospital do Câncer em Caetité será entregue em novembro desse ano, beneficiando moradores de 48 municípios do sudoeste baiano, que precisam...

Fundação José Silveira faz videoconferência sobre teleatendimento para reabilitação da pessoa com deficiência

As conquistas do teleatendimento para a reabilitação da pessoa com deficiência são o tema do webinar (videoconferência) a ser realizado pela Fundação José Silveira (FJS), por meio...

Justiça suspende trabalho presencial de médicos do INSS

A Justiça Federal no Distrito Federal (JFDF) suspendeu a volta ao trabalho presencial de médicos peritos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A decisão vale para...