Chamado de “cretino”, primo dispara contra Michelle Bolsonaro após morte de avó por covid-19

A primeira-dama Michelle Bolsonaro foi acusada pelo primo Eduardo Castro de ignorar a avó, que morreu de covid-19, na madrugada desta quarta-feira (12/08), no Hospital Regional de Ceilândia, no Distrito Federal. Maria Aparecida Firmo Ferreira, 80 anos, estava internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital público desde o dia 3 de julho, mas não resistiu. Nas redes sociais, o rapaz fez um desabafo em um vídeo publicado no stories do Instagram.

“Obrigado por você não ter feito absolutamente nada por nossa avó! Tanto poder, tanta influência e por vergonha. Sim vergonha, não ajudou seu próprio sangue”, afirmou em um card com a foto de Michelle, que negou e chamou o primo de “cretino” e “moleque” através do direct. Veja abaixo os prints.

Em resposta, Eduardo Castro publicou vários vídeos. “Sou primo da criatura, a pessoa mais ingrata que conheci na minha vida”, inicia o jovem que trabalha no campo das artes.

“Depois da minha publicação como uma forma de desabafo, a primeira vez ela me respondeu aqui no Instagram. Olha só que coisa, né? Consegui chamar a atenção da criatura. Mas como vocês viram aí, ela disse que vai me processar, me xingou, desceu o nível, que nem parece uma primeira-dama, né? Mas ok, a gente releva essa parte”, pontua.

“Eu não tenho medo dela, tá? Eu não tenho medo de quem ela é, eu não tenho medo do que ela pode fazer, porque em momento algum eu falei mentiras a respeito dela. Então, se ela quer bater de frente, a gente bate de frente”, dispara Eduardo, que acrescenta.

“Sobre o uso da imagem dela, é uma pessoa pública, ela é uma pessoa da família. E em momento algum eu falei mentiras a respeito dela ou sobre o nome dela e tudo mais. Não caluniei e é isso, se ela quer processar, ela processa. A gente da família sempre defendeu muito ela. A gente sempre teve um carinho muito grande por ela. Só que é aquela coisa, né? O poder sobe a cabeça das pessoas. Ela se tornou uma pessoa que ninguém reconhece mais, ninguém da família gosta. As pessoas que gostam, gostam para bajular ela, por ela ser quem ela é. A gente não vai fazer mais isso, a gente cansou”, afirma.

Eduardo Castro ainda afirma que “tenho muitas coisas para falar, coisas que a gente guardou durante anos”.

Últimas Noticias