“Apareceu um tubarão na frente do prédio de Ivete Sangalo”, afirma pescador da Gamboa

Tubarao1Neste mês de abril, pelo menos três tubarões foram encontrados por pescadores e banhistas nas praias do Canta Galo e da Gamboa, o que demonstra que há uma mudança de comportamento desses animais, em Salvador. A equipe do Informe Baiano esteve na Gamboa de Baixo na última segunda(11) e ouviu pescadores e mergulhadores. Afinal, eles atacam seres humanos? É comum na região? Será que os “filhos do mar” sabem precisar as espécies que foram encontradas? Confira abaixo as opiniões de pessoas que convivem há décadas com vários tipos de peixes.

.

DSC_8366“Esse aí com certeza é o tipo “Tintureira” e não pode vacilar que ele pode atacar o ser humano, sim. No Rio Vermelho, uma vez, pegaram um com um pote no “bucho”. Era presente de Iemanjá. Eu já pesquei nessa Bahia toda e tenho 68 anos de idade e mais de 60 no mar. Já pesquei de norte a sul”. Zé Carlos Rios, 68 anos.

.

DSC_8350“Houve um grande crescimento na pesca submarina e pessoas que não são seletivas, que não tem vivência de mar, estão pescando sem conhecimento nenhum. Existem os peixes ornamentais, esportivos e os peixes de caça. Estão atirando em qualquer coisa que se mexa dentro da água. E isso com o tempo causa um desequilíbrio terrível no meio ambiente. E com isso, o peixe predador vai chegando e ele procura o que comer e não acha. Então, ele começa a migrar vindo para a costa procurando uma comida. Um dos casos que a gente sabe é a situação do Recife, em Pernambuco. Foi comprovado que depois da ampliação que teve no Porto muitas áreas que o Rio desaguava foram fechadas. Então, perdeu muita coisa e aconteceu um desequilíbrio. No início o tubarão só atacava, mas não comia. Depois ele passou a se acostumar com aquilo e se alimentar. Com o isso, ele passou a se habituar e viu que aquilo estava matando a fome dele. No Brasil, existem 75 espécies de tubarões, segundo um biólogo”. Hely Virgílio, 29 anos, pescador.

Predio de Ivete DSC_8299
“Eu nunca vi esse tipo de tubarão atacar. Recentemente apareceu um tubarão Lixa na frente do prédio de Ivete, inclusive. Mas algumas pessoas disseram que era um Bijupirá”. Francisco Xavier dos Reis, 52 anos.

“Aí é um cação “Limão” e não ataca o ser humano, não. Ele tem dois metros, mas é pequeno. Ali nem 100 quilos tem”. Moisés Barbosa, 43 anos.

“Ai é o “Tintureira” e ele cresce bastante, viu? Tem vários tipos de tubarão ou cação”. Valter Garcia Neto.

DSC_8386

Fotos na Gamboa: Leandro Silva

 

Tubarão Lixa/Foto: internet
Tubarão Lixa/Foto: internet

Tubarao Bijupira/Foto: internet
Tubarao Bijupira/Foto: internet

Tubarao Tintureira/Foto: internet
Tubarao Tintureira/Foto: internet

 

 

 

 

 

Atenção para as grávidas tem reforço de R$ 247 milhões

O Ministério da Saúde anunciou a liberação de R$ 247 milhões para apoiar estados e municípios na implementação de ações de atenção às gestantes e puérperas. O...

Homens são presos com drogas, comidas e bebidas que seriam jogados em presídio de Salvador

No intervalo de cinco horas o Batalhão de Guardas (BG) da Policía Militar frustrou, na sexta-feira (17), três arremessos de materiais ilícitos para o Complexo Penitenciário Lemos...

Salvador: Drive Thru Solidário arrecada alimentos até este domingo (18)

Uma ação de solidariedade que vai ajudar a minimizar os impactos da pandemia de Covid-19 a pessoas em situação de pobreza em Salvador. Esta é a proposta...

Dia Mundial da Hemofilia: condição genética dificulta coagulação

O Dia Mundial da Hemofilia, neste sábado, 17 de abril, foi criado com a finalidade de conscientizar a sociedade e difundir informações sobre a hemofilia e outras...