“Trabalhar é crime?”, questiona cantor Belo após ser preso

O cantor Belo, que foi preso nesta quarta-feira (17/02) após fazer um show supostamente ilegal no Rio de Janeiro, fez um desabafo nas redes sociais.

No card publicado no Instagram, o artista questiona: “Trabalhar é crime?”. No corpo do texto, ele afirma que foi “contratado com toda documentação de acordo com a lei; tendo contrato, nota fiscal e garantia de todos os protocolos de segurança pela empresa que o contratou”.

Belo diz ainda que “infelizmente o Brasil é um país onde a justiça funciona somente para alguns”.

“Sequer deram o direito da nossa parte apresentar algum documento que justificasse o trabalho, pediram a prisão preventiva direto”, acrescentou.

"Trabalhar é crime?", questiona cantor Belo após ser preso
Print feito pelo Informe Baiano na conta oficial do Instagram de Belo às 19h50. A postagem foi apagada pouco minutos depois .

Belo foi preso nesta quarta-feira (17/02) em Angra dos Reis pela Delegacia de Combate às Drogas (DCOD), da Polícia Civil do Rio de Janeiro. Equipamentos e veículos também foram apreendidos na produtora Série Gold. O artista teria realizado um show no Complexo da Maré, Zona Norte da cidade, apesar das proibições devido à pandemia.

O evento, conforme a PC, aconteceu sem autorização da Secretaria Municipal de Saúde, no interior da Escola Municipal do Parque União, no dia 13 de fevereiro. Também é investigado se houve a invasão ao colégio.

A DCOD cumpriu no total quatro mandados de prisão preventiva e cinco de busca e apreensão.

Além de Belo (Marcelo Pires Vieira), foram detidos Célio Caetano e Henriques “Rick” Marques, que são sócios da produtora, e Jorge Luiz Moura Barbosa, o Alvarenga, chefe do tráfico no Parque União.