Estudante da UFBA constrói máquina para produção de próteses dentária de baixo custo

A odontologia brasileira é considerada uma das melhores do mundo. Contudo, é um serviço estético caro para a maioria da população. Pensando no custo benefício para a sociedade, o aluno de pós graduação em mecatrônica da UFBA, Nei Paz, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa da Bahia (Fapesb), que é vinculada à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), desenvolveu uma máquina de próteses dentárias que pudesse atender melhor a sociedade.

Nei sempre procurou desenvolver fresadoras CNC, desde o período da sua graduação, utilizando microcontroladores e componentes de fácil aquisição para projetos de automação. Por causa dessa experiência, surgiu a ideia de um projeto de baixo custo e de tecnologia aberta com os conceitos de engenharia aos anseios de um tema importante na área da saúde. “Trabalhei diversos anos em laboratórios de prótese e manufatura das peças desenvolvidas em impressões 3D. Os custos desses sistemas são extremamente altos e as empresas acabam sofrendo para financiar e até mesmo pagar as parcelas. Pensando numa tecnologia que trouxesse mais precisão, qualidade e aumento da produção das próteses, construí a máquina RepRap”, contou o estudante.

De acordo com ele, a ideia inicial era criar uma máquina que conseguisse replicar as suas próprias partes, mas atualmente a RepRap consegue replicar 70%. “A máquina é um projeto open-source, distribuído a fim de que desenvolvedores, criadores e estudantes possam construir e elaborar as suas próprias máquinas”, concluiu. O projeto começou a se materializar de forma científica com metas específicas para a realização da pesquisa. Foi a partir disso que o professor e orientador Marcus Americano da Costa incentivou e auxiliou Nei para se candidatar ao mestrado do programa. Os estudos foram iniciados em março de 2019 e seguem em fase de finalização.

Americano afirmou que um dos primeiros projetos que incentivaram a construção dessa máquina foi idealizado e desenvolvido pelo Engenheiro Adrian Bowyer, em 2004. “No início de 2008, havia quatro máquinas RepRap, todas feitas em máquinas comerciais de prototipagem rápida. Dois anos e meio depois, estimamos de forma conservadora que existem cerca de 4.500 máquinas derivadas em todo o mundo”, contou o professor. Segundo ele, embora a RepRap tenha se tornado um marco na história da impressão 3D e o projeto desenvolvido seja uma fresadora CNC, ambas são máquinas numericamente controladas e a essência e intenção do desenvolvimento do projeto são parecidas.

“O objetivo é incentivar outros pesquisadores e profissionais da área a criarem suas próprias máquinas, disseminando o conhecimento e a evolução dos sistemas CAD/CAM aplicados à odontologia restauradora. Os resultados foram altamente satisfatórios, pois demonstram que uma máquina construída com custos baixos de produção pode desenvolver restaurações odontológicas precisas e funcionais, o que nos traz uma perspectiva bastante interessante neste campo de atuação”, concluiu Marcus.

O projeto está em fase de usinagem de modelos de próteses em cera, que são utilizados por protéticos para realizar a fundição em metal ou injeção em dissilicato de lítio. As peças fresadas na máquina serão instaladas na arcada de um paciente, provando assim a eficácia da usinagem e boa adaptação da peça em boca.

Bahia Faz Ciência

A Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e a Fundação de Amparo à Pesquisa da Bahia (Fapesb) estrearam no Dia Nacional da Ciência e do Pesquisador Científico, 8 de julho de 2019, uma série de reportagens sobre como pesquisadores e cientistas baianos desenvolvem trabalhos em ciência, tecnologia e inovação de forma a contribuir com a melhoria de vida da população em temas importantes como saúde, educação, segurança, dentre outros. As matérias são divulgadas semanalmente, sempre às segundas-feiras, para a mídia baiana, e estão disponíveis no site e redes sociais da Secretaria e da Fundação. Se você conhece algum assunto que poderia virar pauta deste projeto, as recomendações podem ser feitas através do e-mail comunicacao.secti@secti.ba.gov.br.

Últimas Noticias