PROTESTO! Familiares de jovem morta em Águas Claras acusam marido

Familiares e amigos da jovem de 23 anos, Mayara Soares dos Santos, que morreu na madrugada do último domingo (11/04), no Hospital Eládio Lasserre, após ser foi atingida com um tiro pelas costas no bairro de Águas Claras, fizeram um protesto nesta terça-feira (13/04), na Estrada do Matadouro.

Eles acusam o marido da vítima do assassinato e afirmam que Tarcísio não aceitava o fim do relacionamento. Qualquer informação sobre o acusado o denunciante pode entrar em contato com a polícia anonimamente pelo telefones 3235-0000 e/ou 190.

Com faixas e cartazes com o nome e fotos do suspeito, os manifestantes exigiram a prisão. ‘Assassino, assassino, queremos justiça’, gritavam as pessoas. Assista abaixo:

Mayara foi baleada na noite de sábado (10/04), na Rua Santa Tereza, localidade do Vietnã, no bairro de Águas Claras, onde residia. Uma amiga da vítima conversou sob anonimato com o Informe Baiano e revelou que o autor do crime é integrante da quadrilha do traficante ‘Cote’ e gerente do grupo na Rua Luís Piton.

“Eles discutiram e ela disse que queria se separar. Quando ela deu as costas, ele atirou na covardia. E há muito tempo ela queria o fim do relacionamento, mas ele não aceitava. Vivia agredindo e espancando ela”, contou.

A amiga de Mayara disse ainda que o suspeito continua no bairro.

“Ele é do São Caetano e é muito frio. Já matou outras pessoas também. Tem uns dois meses que ele matou uma pessoa dentro de uma barbearia e inclusive, no dia que ela morreu ele tentou matar uns rivais de outro facção em uma casa, mas os caras conseguiram fugir”, revelou. A jovem tinha um filho com Tarcísio.

Em nota ao IB, a Assessoria de Comunicação da Polícia Civil confirmou que o principal suspeito é o companheiro da vítima e a 2ª DH / Central investiga o feminicídio. A Polícia Civil disse ainda que “equipes da unidade realizam incursões para localizar o homem. A motivação do crime está sendo apurada”.