Mineradora baiana investe em tecnologia de ponta para extração de minerais valiosos

Um projeto pretende desenvolver tecnologia inédita e 100% baiana para explorar minerais que até então eram inviáveis no estado. A empreitada, proposta pelos diretores da Mineradora Tabuleiro, Gabriel Keller, Sandro Santos e Janaina Marques, se sustenta na viabilidade técnica e econômica para separar minerais que fazem parte dos elementos terras-raras.

Segundo dados de 2015 da USGS (agência científica do governo dos Estados Unidos), as reservas brasileiras de terras-raras podem chegar a 3,5 bilhões de toneladas, o que leva o país ao 2º lugar no ranking mundial. As terras-raras são matéria-prima na produção de superímãs, eletrônicos, equipamentos para defesa, indústria aeroespacial, energia, dentre outros segmentos.

O mercado mundial dos óxidos de terras raras é da ordem de US$ 5 bilhões anuais. A China desponta como maior concorrente do setor com 95% da produção mundial e dona de 37% das reservas conhecidas. O país possui esse domínio porque desde 1970 adotou a pesquisa e o desenvolvimento para extração e beneficiamento de terras raras como política de estado e segurança nacional.

Apesar de se posicionar como o segundo maior detentor de reservas de terras raras no mundo, o Brasil possui uma produção considerada baixa, estimada em 22 milhões de toneladas, de acordo com o Serviço Geológico dos EUA. A produção fica em torno de 2 mil toneladas por ano.

Os desafios de extração e processamento implicam na disponibilidade limitada de conhecimentos técnicos para a separação dos minerais-minério contendo terras raras. A exploração começou ainda no século 19 no litoral brasileiro entre o norte do Rio de Janeiro e o sul da Bahia.

A mineradora já obteve licença para pesquisar e explorar as terras-raras em solo baiano. Dessa forma, o principal objetivo do projeto é desenvolver o processo de separação de terras raras. O negócio também pretende estender o uso da tecnologia desenvolvida a mineradores parceiros e cooperativas.

A Mineradora Tabuleiro é uma startup com foco na pesquisa e viabilização extrativa de minerais críticos e especiais no estado da Bahia com mais de 20 mil hectares de área sob titularidade da empresa. Os minerais em destaque nas pesquisas são o grafite, terras-raras, barita, quartzo industrial e o quartzo rutilado (gema).

A empresa escolheu o Senai Cimatec baseado nas experiências bem-sucedidas em inovação e tecnologia da instituição, voltadas à indústria e mineração, algumas premiadas, para empresas como Petrobras e Nexa Mineração (ex-Votorantim).

Os diretores acreditam na empreitada e já projetam a continuidade dos estudos visando o aproveitamento de rejeitos e exploração a seco para outras substâncias a partir de jazidas exclusivas na Bahia. “O projeto tende a ser um marco na mineração brasileira ao viabilizar a exploração de substâncias antes inviáveis tecnicamente e comercialmente”, afirma Sandro Santos, diretor da Mineradora Tabuleiro.

Segunda etapa da requalificação da Sabino Silva é iniciada

A Rua Professor Sabino Silva, uma das vias de acesso à orla de Salvador no trecho Barra/Ondina, será beneficiada com o início da segunda etapa das obras...

ONU pede investigação imparcial sobre operação no Jacarezinho

O Alto Comissariado da Organização das Nações Unidas (ONU) para Direitos Humanos, com sede em Genebra, na Suíça, pediu hoje (7) ao Ministério Público que realize uma...

Megaoperação em Tancredo Neves troca tiros com “bonde” e apreende mais de meio milhão em drogas

Por volta das 06h desta sexta-feira (07/05), na Rua Washington, foi deflagrada uma megaperação para combater uma quadrilha especializada em roubo a banco e tráfico de drogas....

Senado aprova penas mais duras contra crimes cibernéticos

O Senado aprovou hoje (5) o projeto que amplia penas por crimes de furto e estelionato praticados com o uso de dispositivos eletrônicos como celulares, computadores e...