Tumulto em festival religioso faz 44 mortos no norte de Israel

Quarenta e quatro pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas durante um evento religioso superlotado no norte de Israel, na noite passada.

Segundo os serviços de saúde israelenses, pelo menos 20 pessoas estão internadas em estado grave. O jornal Jerusalem Post afirmou, contudo, que o número de feridos ultrapassa a centena.

O acidente ocorreu no Monte Meron, na região da Alta Galileia, onde cerca de 100 mil pessoas se reuniram para o festival do Lag Ba’Omer. Segundo testemunhas ouvidas pelo jornal Haaretz, o tumulto começou depois que algumas pessoas escorregaram em degraus, sendo pisadas pela multidão que vinha atrás.

Inicialmente, havia sido informado que o acidente fora provocado pelo desabamento de uma arquibancada.

“Estávamos na entrada, decidimos que queríamos sair e então a polícia bloqueou o portão, e quem queria sair não podia. Nessa confusão , começamos a cair uns sobre os outros. Pensei que ia morrer. Eu vi pessoas mortas perto de mim”, declarou uma testemunha ao jornal Maariv.

Devido à grande quantidade de pessoas, as equipes de resgate encontram dificuldades de chegar até as vítimas, muitas das quais foram levadas de helicóptero para hospitais próximos.

No Twitter, o primeiro ministro Benjamin Netanyahu afirmou que este foi um “grande desastre” e que rezava pela recuperação das vítimas.

Duas pessoas acusadas de atrapalhar o trabalho das equipes de resgate foram detidas.

A festividade ocorre diante de alertas das autoridades sanitárias, preocupadas com possíveis novas infeções por covid-19, justamente quando o país começa a retomar a normalidade, com a vacinação acelerada, e depois de uma série de longos confinamentos.

Esta é a maior aglomeração ocorrida em Israel desde o início da pandemia.

Rússia produz primeiro lote de vacina contra covid-19 para animais

Carnivac-Cov gera anticorpos em cães, gatos, raposas e visons

O regulador russo garante que a Carnivac-Cov é capaz de proteger espécies mais vulneráveis e até impedir mutações virais.

coronavírus, covid-19, pandemia, Rússia, vacina, animais

RTP-Moscou

A Rússia produziu 17 mil doses de uma vacina contra covid-19 para ser utilizada em animais, anunciou hoje (30) o regulador agrícola do país. A Carnivac-Cov foi registrada em março, depois de vários testes terem revelado que ela gera anticorpos contra o vírus em cães, gatos, raposas e visons.

De acordo com a agência Reuters, o primeiro lote vai ser fornecido em várias regiões do país, mas as autoridades russas dizem que vários países já demonstraram interesse em ter acesso ao imunizante.

Apesar de ainda terem que ser realizados mais estudos, a Organização Mundial da Saúde (OMS) já manifestou a preocupação com o risco de transmissão do vírus de humanos para os animais.

O regulador russo garante que a Carnivac-Cov é capaz de proteger espécies mais vulneráveis e até impedir mutações virais.

Ainda de acordo com as autoridades russas, estará já em andamento o processo para registrar o produto no exterior, especialmente na União Europeia.

Câmara cria Semana Escolar de Combate à Violência contra a Mulher

A Câmara aprovou na noite desta quinta-feira o projeto de lei que institui a Semana Escolar de Combate à Violência contra a Mulher, que será realizada nas...

Três agências bancárias explodidas em Correntina

Grupos de homens fortemente armados explodiram três agências bancárias na cidade de Correntina, no oeste baiano, na madrugada desta sexta-feira (07/05). Os ataques às unidades, que ficam...

Programa de redução de salários preserva mais de 500 mil empregos

Em pouco mais de uma semana em vigor, a nova rodada do programa de preservação do emprego registrou 506.834 acordos fechados, divulgou hoje (6) a Secretaria de...

Exposição virtual divulga trabalhos de artistas de Cajazeiras

Imagine conhecer obras de artistas de áreas periféricas de Salvador como se estivesse no próprio local da mostra, mas sem sair de casa, principalmente neste período de...