Reunião com secretarias de Saúde e Educação debate monitoramento do retorno às aulas presenciais

O Ministério Público estadual promoveu na última quinta-feira, dia 29, reunião com gestores das Secretarias de Saúde e Educação do Estado da Bahia na qual foram apresentadas e discutidas as informações, evidências científicas, previsões, planos e protocolos que foram elaborados e serão utilizados para a realização e monitoramento do retorno às aulas presenciais na rede pública de ensino do estado, programado para ocorrer hoje, dia 3. O evento teve o objetivo de trazer esclarecimentos aos promotores de Justiça, que farão, nos diversos municípios baianos, a fiscalização da retomada quanto às normatizações, recomendações e diretrizes sanitárias e educacionais definidas em conjunto pelos dois órgãos. A reunião contou com a participação da procuradora-geral de Justiça Norma Cavalcanti, que parabenizou os profissionais da Saúde e da Educação e ressaltou o trabalho que o MP vem realizando durante a pandemia, inclusive para a proteção do direito ao ensino das crianças e dos adolescentes no estado.

O superintendente de Planejamento da Secretaria Estadual de Educação (SEC), Manuel Calazans, explicou sobre o início da fase 2 do plano de retorno, do ano letivo 2020/2021, com ensino híbrido. Ele informou que as aulas ocorrerão de segunda a sábado, sendo três dias de aulas remotas, que estão em andamento desde 15 de março, e três dias de aulas presenciais. A coordenadora do Centro de Operações de Emergência em Saúde (COE) da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), Izabel Marcílio, destacou que houve queda e posterior estabilização dos casos de Covid-19 no estado, com significativa diminuição dos registros em idosos acima de 70 anos, já como resultado da vacinação.

A pediatra neonatologista da Sesab Lilian Caldas Embiruçu apontou que o retorno das aulas pode ocorrer, desde que realizado com estrita observância aos protocolos sanitários e de biossegurança. Segundo a médica, um compilado de 700 estudos científicos realizados sobre a Covid-19 no público infantil apontou para baixa suscetibilidade e transmissibilidade da Covid-19 em crianças. Por outro lado, destacou Embiruçu, o isolamento social, sem acesso às escolas, têm trazido impacto para a saúde geral do público infantil.

O evento foi conduzido e mediado pelas promotoras de Justiça Patrícia Medrado, coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Defesa da Saúde (Cesau) e do Grupo de Enfrentamento ao Coronavírus (GT Coronavírus); Márcia Sandes, coordenadora do Centro de Apoio Operacional da Criança e do Adolescente (Caoca); e pelos promotores de Justiça Adalvo Dourado, coordenador do Centro de Apoio Operacional de Defesa da Educação (Ceduc); Carlos Martheo Guanaes, que tem atuação na área de saúde da infância e juventude em Salvador e Rogério Queiroz, coordenador do GT Coronavírus.

Morre atriz Eva Wilma

A atriz Eva Wilma, 87 anos,  morreu neste sábado (15/05). Ela estava internada no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, e tratava um câncer de ovário. A artista...

Mulheres que atacaram 9 supermercados em Remanso são presas

Investigadores da Delegacia Territorial (DT/Remanso) prenderam, na sexta-feira (14), duas mulheres suspeitas de furtos em, pelo menos, nove estabelecimentos comerciais da cidade. Uma delas foi flagrada dentro...

Estudo investiga como começa e evolui o câncer de esôfago

Estudo inédito internacional sobre alterações epigenéticas de pacientes com câncer de esôfago constatou que os pacientes analisados, originários de diferentes regiões do mundo com alta incidência desse...

Cristo recebe iluminação para incentiva a vacinação contra a covid-19

O monumento do Cristo Redentor no Rio de Janeiro recebe, neste sábado (15), iluminação especial promovida pelo Movimento Unidos Pela Vacina. A ação, que acontecerá entre...