Ocupação de leitos em Camaçari é de 100%

Foto: Jean Victor

Após um período de queda e estabilidade na curva epidemiológica da Covid-19 em Camaçari, a situação volta a ficar preocupante na cidade com base no crescimento de novos casos e ocupação de leitos.

A Secretaria da Saúde (Saúde) informa que na última semana foram confirmados 292 novos casos. E a ocupação de leitos clínicos e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) encontra-se em 100% nesta terça-feira (1º/6) e com quatro pacientes na fila de espera. Há 20 dias, esse quadro era bastante diferente, no qual os leitos clínicos tinham ocupação média de 40% e UTI de 75% e não havia nenhum pedido por leitos na fila de espera.

Secretário da Saúde, Elias Natan, alerta mais uma vez a população. “Mesmo quando estávamos com um quadro de relativa estabilidade eu já vinha ressaltando a necessidade de evitarmos aglomerações, usarmos a máscara e o álcool em gel. Não podemos vacilar em nenhum momento, senão o cenário que vivemos no pico da segunda onda acontecerá de novo numa terceira onda ainda maior”, afirmou.

Elias Natan chama a atenção para o fato de que, “em apenas 20 dias o cenário mudou completamente. A aparente estabilidade acabou e começamos a subir em número de casos e ocupação de leitos. Enquanto não tivermos uma vacinação em massa precisamos manter todas as ações preventivas. Inclusive quem já se vacinou”, pontuou.

Até a segunda-feira (31/5) já foram vacinados em Camaçari com a primeira dose 48.037 pessoas e com a segunda dose 18.361 pessoas. “Para criar uma barreira epidemiológica e assim conter o avanço do vírus precisamos ter vacinado 60% a 80% da nossa população. E a quantidade insuficiente de doses que temos recebido tem atrapalhado. A Sesau está preparada para atingir essa meta este ano, desde que recebamos vacinas suficientes”, destaca o secretário da saúde.

Com a chegada no mês dos festejos juninos, mesmo com o Camaforró suspenso e outras tradicionais festas juninas na Bahia, a preocupação dos órgãos de saúde é grande. “Precisamos muito da ajuda da população não realizando festas clandestinas ou festas juninas com aglomerações inclusive em suas casas. Não podemos vacilar. É muito complicado conter o avanço do vírus quando temos bares e restaurantes lotados, onde as pessoas não mantém nenhum distanciamento social. Imagina então se as pessoas se aglomerarem em festejos juninos”, ressalta Alcione Vasconcelos, diretora da Vigilância à Saúde de Camaçari.

Quase 4 toneladas de alimentos são distribuídas pelo PAA em São Sebastião do Passé

O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), segue garantindo alimento na mesa das pessoas que mais precisam e renda para os agricultores baianos. Na segunda entrega do...

Bahia registra 5.253 novos casos de Covid-19 e mais 84 óbitos pela doença

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 5.253 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,5%) e 4.287 recuperados (+0,4%). O boletim epidemiológico desta quinta-feira (17)...

Eriksen usará desfibrilador após parada cardíaca em campo

O dinamarquês Christian Eriksen usará um cardioversor desfibrilador implantável (CDI) após desmaiar em campo por causa de uma parada cardíaca que sofreu durante a partida de estreia...

Em entrevista a Anderson Ninho, Marcelinho Guimarães diz que a Bahia precisa recuperar o tempo perdido

Investimentos na educação e projetos de geração de emprego e renda, além de pós-pandemia, foram os principais temas discutidos pelo ex-presidente tricolor Marcelinho Guimarães e o apresentador...