Vereador de Salvador cobra equidade de empresa por aplicativo após reajuste de ganho por quilômetro em duas capitais

Após o reajuste 15% no ganho por quilômetro rodado aos motoristas por aplicativo da Uber nas capitais de Belo Horizonte e Recife, o vereador de Salvador e representante da categoria, Átila do Congo (Patriota) cobra equidade da empresa com todos os trabalhadores no país, já que a capital baiana não foi contemplada com o novo formato.

O parlamentar apela para a situação dos autônomos que se vêem com dificuldades para rodar, especialmente com os aumentos no combustível. Em 2021, a Petrobras fez nove mudanças na tarifa da gasolina, que já subiu 28% na bomba, em algumas cidades o litro chega a R$ 7.

Átila lamenta a decisão exclusiva da empresa e pede um olhar mais atento aos trabalhadores. “Estou cansado de ver essas empresas apenas ‘chicoteando’ os trabalhadores, sem um incentivo, quero entender porque essa medida ainda não veio para Salvador. É nessa hora que vemos porque tantos motoristas recusam as corridas, é pura dificuldade de conseguir fechar as contas no final do mês, afinal de contas, as taxas são absurdas e sem perspectiva de melhora”, explicou.

Aplicativo municipal

O projeto para criação de um aplicativo municipal para motoristas autônomos de Salvador foi protocolado e segue em tramitação na Câmara de Vereadores. O autor da proposta, Átila do Congo, explica que a ferramenta tem a proposta de reduzir as taxas impostas por empresas privadas aos trabalhadores, no intuito de trazer uma opção mais rentável ao mercado, com a cobrança apenas do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) no valor das corridas.  

A proposta de indicação possui o aval do prefeito Bruno Reis (DEM) após conversas para realizar os ajustes necessários e ir para votação em plenário.

Últimas Noticias