Carência alimentar é responsável por 11 milhões de mortes no mundo a cada ano

Uma má alimentação é responsável por mais mortes do que qualquer outro fator de risco, incluindo o hábito de fumar. Cerca de 11 milhões de pessoas morrem todos os anos no mundo, devido à má alimentação. É o que indica uma pesquisa publicada na revista médica The Lancet.

A rotina cada vez mais acelerada, o fácil acesso a produtos industrializados, aliado a uma dieta pobre em nutrientes, acende o alerta sobre os cuidados com a saúde e a ingestão de alimentos saudáveis no Brasil. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o brasileiro consome apenas um terço de frutas, legumes e verduras do que a entidade recomenda. O resultado disso é uma população que está adoecendo por carência nutricional

Para garantir a reposição dos nutrientes e estimular o bom funcionamento da máquina humana, especialistas recomendam o uso de suplementação alimentar, que são produtos com alta concentração de nutrientes, destinados a suprir carências nutricionais do organismo.

Suplementação e qualidade de vida

A Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres (Abiad), aponta que a suplementação já faz parte de 54% dos lares brasileiros. A necessidade de complementar a dieta é apontada como a principal causa para a aquisição dos produtos.

Para Bia Villas-Bôas, empresária que atua há mais de 15 anos no segmento de suplementação alimentar e sócia da Nutrition’all, nos últimos anos tem crescido um movimento em busca do bem estar e longevidade. Para ela, as pessoas estão mais preocupadas com a qualidade de vida e não apenas com a estética. “Muitas pessoas que antes suplementavam apenas para atingir o corpo ideal, ou ainda aqueles que não eram adeptos à suplementação, foram em busca de produtos que melhorassem sua saúde, principalmente nesse período de pandemia. Vimos um movimento de conscientização dos hábitos de vida, da busca por prevenir ao invés de remediar, inclusive quando falamos de saúde mental. Temos acompanhado um crescimento na demanda de produtos ligados à mente, pelo aumento no nível de estresse e ansiedade vividos nos últimos tempos”, avalia Bia.

O médico integrativo, Dr Claudio Bacelar, é um dos profissionais que recomendam a utilização responsável de suplementos alimentares. Ele reforça que a ingestão contribui para oferecer ao corpo os nutrientes que não são absorvidos através da alimentação. “O hábito de vida acelerado, o consumo de produtos industrializados e o solo cada vez menos rico em nutrientes, faz com que a alimentação muitas vezes não seja suficiente para alcançarmos tudo que nosso corpo necessita, como por exemplo o Magnésio. Segundo a USP, 84% das pessoas tem deficiência de magnésio. A reposição do mineral é extremamente importante, principalmente o Magnésio de alta absorção, que são os quelados e são associados com aminoácidos para melhor penetração nas células”, explica o médico.

Últimas Noticias