Em Valença, ACM Neto diz que é “absolutamente vergonhoso” que Bahia seja líder de homicídios

O presidente nacional do Democratas, ACM Neto, afirmou nesta quinta-feira (30) que é “absolutamente vergonhoso” que a Bahia seja líder no número de homicídios no país, ao realizar mais uma edição do movimento “Pela Bahia”, em Valença, no Baixo Sul do estado. Em entrevista coletiva, Neto ainda falou sobre o potencial turístico da região e disse desejar que o estado seja palco dos grandes investimentos do Brasil.

Ao ser questionado sobre a segurança pública, ele ressaltou que houve avanços em muitos estados do Brasil, enquanto a Bahia regrediu. No primeiro semestre deste ano, o estado teve aumento de 7,1% no número de assassinatos, de acordo com o Monitor da Violência, do G1, e segue na liderança do ranking de homicídios. A Bahia foi um dos poucos estados que tiveram crescimento, enquanto o país teve redução de 8%.

“Somos o primeiro lugar (em homicídios) desde 2017. É um indicador absolutamente vergonhoso. Nós somos campeões de homicídio e último lugar na educação. Temos a rede pública estadual de todo o país, no ensino médio, com a pior avaliação. Éramos para ser primeiros em educação e último em violência. O que mostra que é preciso ter foco e prioridade”, disse.

Ele revelou que, nas viagens que tem feito pelo interior e nas conversas que tem mantido, prefeitos e lideranças contam que há municípios com apenas um policial. “Muitos municípios com um ou dois policiais. Como é que um ou dois policiais vão dar conta de fazer a segurança de um município?”, questionou.

Na área da saúde, o presidente nacional do Democratas disse que a região precisa ter um hospital regional, sediado em Valença e que atenda a todo o Baixo Sul. “Hoje a regulação inexplicavelmente é feita para Itabuna. Então as pessoas são obrigadas a se deslocar tantos quilômetros para ter acesso ao internamento hospitalar. Muitos inclusive questionam por que Santo Antônio de Jesus, uma cidade muito mais próxima, não é a referência. Só que a solução não é essa, a solução é a construção de um hospital regional em Valença que possa atender a toda região”, ressaltou.

A agenda na região reúne lideranças políticas locais e estaduais, além de prefeitos e vereadores da região. Além de Valença, ACM Neto também irá a Nilo Peçanha, Taperoá e Ituberá até esta sexta-feira (1°) na região do Baixo Sul.

Potencial do turismo – Ao citar o exemplo de Morro de São Paulo, no município de Cairu, ACM Neto também destacou o potencial turístico da região. Ele disse que o governo do estado faz hoje pouca promoção e pontuou a necessidade de investimentos em infraestrutura para permitir a ampliação do fluxo de turistas, o que, consequentemente, vai gerar mais emprego e renda e atrair novos negócios e desenvolvimento.

“Existem questões de infraestrutura nas cidades que vão precisar ser enfrentadas, sem o quê você não tem capacidade de receber tantas pessoas. Existem produtos para serem desenvolvidos aqui em Valença. Nós vamos ao Guaibim. Há quanto tempo há uma expectativa, por exemplo, de se fazer uma obra de urbanização do Guaibim. Eu estou dando um exemplo, dentre tantos outros que poderíamos falar, a recuperação da estrada até o Pratigi”, disse.

“Então, eu vejo aqui no potencial turístico, no trabalho, dessa grande indústria que é empregadora, que é agregadora de renda, que sofreu muito com a pandemia, mas que está voltando com uma outra cara. Só que é preciso ter visão estratégica, ter liderança, criatividade e arrojo para fazer um um trabalho integrado, em diálogo com as forças produtivas locais”, complementou.

Neto ainda disse que, a partir das viagens pela Bahia, pretende construir uma nova visão sobre o estado. “A gente quer uma Bahia que lidere, que dê os bons exemplos, que seja o estado palco dos grandes investimentos do Brasil, que possa canalizar investimentos, gerando empregos, oferecendo ao mesmo tempo qualidade de vida às pessoas e acesso a serviços públicos de qualidade”, afirmou.

Últimas Noticias