Tarde de circo encanta idosos do Abrigo Dom Pedro II

Foto: Vitor Santos / Sempre

Sorrisos, olhos brilhando e aparência de criança. Essas foram as reações dos idosos do Abrigo Dom Pedro II, administrado pela Secretaria Municipal de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esportes e Lazer (Sempre), ao assistirem ao espetáculo do Le Cirque, que apresentou atrações nacionais e internacionais, na tarde deste sábado (2). Trinta residentes participaram da programação, que teve direito a pipoca e guaraná.

Atualmente, o circo é formado por mais de 70 integrantes, de diversas nacionalidades. Para a residente do abrigo, Lúcia Peçanha, viver esse ambiente de alegria e encantamento, que alia dança, teatro e os tradicionais números circenses, nem que seja por algumas horas, não tem preço.

Ela, particularmente, gostou mais das atrações que envolveram os palhaços. “Minha felicidade era tanta que cheguei até a ganhar uma bitoca na ponta do nariz de um deles”, disse radiante .

Com muita expectativa, Edvaldo Conceição dos Santos ficou extasiado com o Globo da Morte e a mistura de arte, acrobacias e incríveis manobras radicais de quatro motos freestyle. “O trabalho deles em si impressiona. O que eu realmente queria ver aqui no circo era o Globo da Morte, pois desafia os limites humanos”, relatou.

Mais ligada à arte, a idosa Heloísa Elias da Silva destacou que os olhos brilharam com os figurinos totalmente diferenciados das bailarinas e as trilhas sonoras de diversos países. “Tudo me encantou, tudo foi muito lindo. Cada figurino diferenciado e mais lindo que o outro que pude ver de forma real, com espetáculos brilhantes, me fez ser só gratidão pela oportunidade”.

A vice-prefeita de Salvador e Secretária de Governo, Ana Paula Matos, também presente no evento, reiterou que essa ação “mexe com o emocional de diversos idosos, há muito tempo sem ver seus familiares. Não tenho palavras para descrever os gestos que presenciei nesta tarde”, afirmou, sem esconder a emoção.

Personagem de diversos quadros, o titular da Sempre, Kiki Bispo, ressaltou a importância para os idosos desta primeira atividade externa desde que a pandemia chegou à cidade, em março de 2020. “Sair daqui e ver todo esse contentamento é muito recompensador, pois mostra que nossa missão social está sendo cumprida com legitimidade. Depois de quase dois anos de pandemia, levar dezenas de idosos a um espetáculo circense, com toda a segurança sanitária, enche de felicidade o coração de todos. E esse é o primeiro de muitos passeios, com todos os critérios, claro”, reforçando a emoção.

O proprietário do Le Cirque, Jorge Stevanovich, ressalta que essa questão da solidariedade vem de berço. “Não dá para ser empresário e pensar apenas no capital, o socia tem que ser prioridade e para nossa família sempre será”, concluiu.

Últimas Noticias