Operação retira sucatas de barcos na Ribeira

Fotos: Otávio Santos/Secom

A Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), está realizando uma operação integrada que visa retirar sucatas de barcos na região da Ribeira. A ação foi iniciada na manhã desta segunda (18) e se estenderá até a próxima quarta-feira (20).

Além da Semop, a ação conta com o apoio das equipes da Secretaria de Manutenção da Cidade (Seman), Empresa de Limpeza Urbana de Salvador (Limpurb), Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador), Guarda Civil Municipal (GCM) e da Prefeitura-Bairro Cidade Baixa. A ação visa retirar da faixa de areia embarcações degradadas que possam poluir o meio ambiente e o visual das orlas marítimas da cidade.

As notificações foram emitidas a 11 proprietários para que fizessem a retirada das embarcações, no prazo de uma semana antes do início da operação. No primeiro dia de fiscalização, foram retiradas quatro embarcações e pedaços de sucatas de outros barcos. Diversos moradores e pescadores da região acompanharam a ação da Prefeitura.

São caracterizadas como sucatas, as embarcações cuja estrutura física esteja danificada, onde pode estar causando diversos problemas ambientais. A ação deverá se estender em toda a orla de Salvador, onde possam ser encontradas sucatas de embarcações.

Morando no bairro da Ribeira em apenas um mês, o gerente comercial Flávio de Oliveira, de 45 anos, estava caminhando pela orla do bairro e parou para acompanhar a operação. Segundo ele, alguns vizinhos já vinham reclamando sobre a situação provocada pelas embarcações mais velhas.

“É ótimo saber que a Prefeitura tem um olhar diferenciado para o meio ambiente e atende às denúncias da população. Faz pouco tempo que vim morar no bairro e, além das reclamações feitas pelos vizinhos, eu já estava reparando o acúmulo de sujeiras deixadas por essas embarcações nas faixas de areias e do mar”.

Também residente na Ribeira, Tatiane Santos, de 42 anos, aprovou a ação municipal. “Eu sou nascida e criada aqui e há algum tempo que essas embarcações mais antigas vêm degradando todo o mar e o ambiente da orla. Sempre que eu vejo um barco com o casco se soltando pelo mar, eu ligo imediatamente para os órgãos competentes e sinalizo”, disse a costureira.

“Essa questão é ambiental e de saúde a cidade, por isso, a grande importância desta operação ser realizada, que tem o objetivo de deixar uma cidade mais limpa, trazer mais segurança para à população, proteger o meio ambiente e prevenir doenças”, declarou a titular da Semop, Marise Chastinet.

Procedimento – O proprietário que tiver a sua embarcação recolhida e caracterizada como sucata tem o prazo de 60 dias para apresentar toda a documentação do barco e poder entrar com o recurso de retirada na Semop. Para isso, o dono do equipamento precisa pagar uma taxa à Semop, e posteriormente, realizar a manutenção e vistoria da embarcação para poder ser colocada no mar novamente. Após o prazo estabelecido, as embarcações são leiloadas.

Denúncias – O cidadão que desejar efetuar uma denúncia sobre sucatas de barcos pode entrar em contato com o Fala Salvador, no telefone 156 ou através do site www. falasalvador. ba. gov. br .

Últimas Noticias

Quarteto feminino bate recorde mundial de natação master

O quarteto Flávia Turini (30 anos), Jovana Nakagaki (28 anos), Ana Carolina Morelli (31 anos) e Mariana Nakagaki (33...