Átila diz que vaias foram “armadas por dois ex-diretores do Sindicato revoltados porque não são meus assessores”

O vereador Átila do Congo (Patriota), que preside o Sindicato dos Motoristas por Aplicativo e Condutores de Cooperativas do Estado da Bahia (Simactter-BA), participou do protesto da categoria contra o aumento dos combustíveis, na manhã desta sexta-feira (29/10), na Avenida Paralela, em Salvador. O movimento foi iniciado por um grupo de trabalhadores e contou com a adesão do sindicato, que disponibilizou uma estrutura com mini-trio e outros equipamentos.

“O protesto é válido, mas não teve adesão da categoria. Quem tentou organizar, queria fazer politicagem, ao invés lutar pelos trabalhadores. O fato é que não podemos admitir esses aumentos sucessivos e extremamente prejudiciais dos combustíveis. Do jeito que está em dezembro ultrapassa os 10 reais. Não vamos aceitar”, pontuou o edil.

Sobre as vaias que teria recebido de um grupo durante o protesto, Átila rebateu. “A categoria sabe e está ciente da luta que eu e o sindicato estamos travando em prol dos trabalhadores. Não é fácil, não é simples e não tem mágica. Mas as coisas estão acontecendo. Agora, dois ex-diretores do sindicato estão revoltados porque não são meus assessores. Eles foram lá no gabinete e queriam empregos. Como eu não consegui atender eles, armaram isso aí. Se eu pudesse, todos seriam meus assessores. Mas eu não posso, há limitações. Eu sou vereador de Salvador. Eu não sou dono de banco e nem sou dono de nenhuma multinacional”, finaliza Átila do Congo.

Últimas Noticias

Athletico-PR derrota Cuiabá na Arena da Baixada e se afasta do Z4

O Athletico-PR derrotou o Cuiabá por 1 a 0 na noite desta sexta-feira (3), na Arena da Baixada, em...