Em Bom Jesus da Lapa, ACM Neto critica situação dos aeroportos e diz que pobreza na Bahia aprofundou nos governos do PT

O pré-candidato a governador da Bahia ACM Neto (Democratas) criticou na noite desta quinta-feira (16) a “situação de abandono” dos aeroportos do estado e disse que a pobreza aprofundou durante os governos petistas. Em entrevista coletiva, ele afirmou ainda que deseja apresentar a chapa majoritária para a corrida pelo Palácio de Ondina entre o final de março e o início de abril.

A agenda na região contou com visitas aos municípios de Ibotirama e Paratinga, além de Bom Jesus da Lapa. Acompanham Neto o deputado federal Arthur Maia, o ex-prefeito de Feira de Santana José Ronaldo de Carvalho, prefeitos e vereadores, entre outras lideranças locais e estaduais.

“Quando a gente olha os grandes aeroportos ou mesmo os médios e pequenos aeroportos, a situação é essa de abandono na Bahia como um todo. E aí quando você me pergunta, faz sentido pensar por exemplo que a Lapa precisaria ter um aeroporto que permitisse uma maior integração regional, que permitisse um volume de movimentação econômica. Se isso não foi pensado, é porque na Bahia falta planejamento”, afirmou.

Sobre a economia do estado, Neto ressaltou que o PIB da Bahia já representou 38% do Nordeste, mas hoje é em torno de 28%. “Cada ponto percentual desse que nós fomos caindo foram empregos que nós estamos perdendo para o Ceará, para Pernambuco, para Maranhão, para Rio Grande do Norte e pra outros estados do Nordeste. Não há uma visão estratégica, não há uma ação coordenada, não há um plano regional, não há uma ação que possa olhar quais são as potencialidades das vocações, as oportunidades aqui na região e que direcione o investimento do estado”, pontuou.

“Os governos de esquerda, principalmente o PT, sempre gostaram de dizer que eles são os pais dos maiores programas sociais. Quando a gente vai ver o IDH da Bahia, nos últimos anos, ele não mudou. Ao contrário, caiu. Ele piorou, a pobreza se aprofundou. A gente sabe a realidade hoje da fome de muitas famílias estão passando, da miséria que está crescendo, da falta de dinheiro no bolso, do desemprego”, acrescentou.

Ele destacou a vocação de Bom Jesus da Lapa em relação ao turismo religioso, que atrai algo milhões de pessoas anualmente. “Não é possível enxergar de uma outra forma para dar mais suporte a toda essa grande cadeia de serviços que é ligada ao turismo, em especial pelo turismo religioso. E eu pergunto: qual é a visão que o estado trouxe nesses últimos 16 anos pra permitir que o destino Bom Jesus da Lapa desse um salto, agregando outros produtos como o ecoturismo. O turismo que aproveite o rio São Francisco com todas as suas potencialidades. Então tem muita coisa que pode ser feita”, ressaltou.

Sobre a definição da chapa, ele afirmou que trabalha na definição tanto da majoritária quanto das proporcionais. “O meu desejo é que até o fim de março, portanto eu trabalho com esse prazo limite, não estou marcando data, mas estou dizendo qual é o meu desejo, qual é a minha intenção, é até o fim de março, início de abril, poder apresentar os nomes que vão integrar a nossa chapa”, afirmou.

Últimas Noticias