Depressão é uma das doenças mais frequentes no Brasil

A depressão se tornou uma das doenças mais comuns no Brasil e 11,3% dos brasileiros sofrem com o problema. É o que apontam os dados da pesquisa Vigitel, realizada pelo Ministério da Saúde em 2021 e divulgada recentemente. Pandemia, crise econômica, desemprego, perdas na família e fim de relacionamentos são fatores que contribuíram para o aumento nos casos de ansiedade, depressão e outros problemas de saúde mental nos últimos meses.

“Diante de um índice tão alarmante, os profissionais de saúde mental se esforçam para oferecer alternativas no tratamento contra a depressão, por meio de métodos mais eficazes como a Estimulação Magnética Transcraniana”, explicou o Dr. Lúcio Botelho, diretor médico da Clínica OMNI, especializada em Saúde Mental e Neuroestimulação.

O levantamento foi realizado entre setembro de 2021 e janeiro de 2022 com 27 mil brasileiros em todas as capitais do país. Desse total, 11,3% responderam “sim” ao serem questionados se algum médico já havia dito que a pessoa entrevistada tinha depressão. “Esses dados atestam que a depressão é um quadro mais frequente no país que outras doenças como o diabetes, que, conforme a pesquisa, atinge em média, 9,1% da população no Brasil”, destacou o psiquiatra.

O Dr. Lúcio Botelho explicou que, em alguns quadros de depressão é possível utilizar a Estimulação Magnética Transcraniana como alternativa para o uso de antidepressivos, quando estes não funcionam de forma satisfatória. Um dos benefícios do tratamento com a EMT é a alta eficácia, aliada a uma técnica não invasiva, sem cortes ou procedimentos cirúrgicos. Além dessas vantagens, o método é totalmente indolor e não apresenta os efeitos colaterais encontrados nos antidepressivos convencionais.

“Para o tratamento, utilizamos os pulsos magnéticos, que agem no córtex cerebral, diretamente nas áreas afetadas pelos transtornos de humor, como a depressão. Esses pulsos auxiliam a neuromodulação, influenciando as sinapses neurais para torná-las mais eficientes”, descreveu o diretor da OMINI. A neuromodulação permite equilibrar o fluxo de neurotransmissores, especialmente nas áreas relacionadas à regulação emocional, amenizando, assim, os sintomas da depressão.

De acordo com o especialista, a sessão de estimulação magnética transcraniana é indolor, com duração de 20 minutos, em média. A frequência do tratamento varia de pessoa para pessoa e apenas um profissional poderá dizer o número de sessões adequadas para cada paciente.

Últimas Noticias

Eleições 2022: TSE aprova registro de mais duas federações partidárias

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou hoje (26), por unanimidade, a criação de duas novas federações partidárias. A primeira...