Sílvio Humberto diz que veto à Lei Aldir Blanc é vingança de Bolsonaro contra classe cultural

O projeto de lei Aldir Blanc, nº 1075/2020, que prevê ações emergenciais destinadas ao setor cultural com o repasse anual de R$ 3 bilhões a estados e municípios durante cinco anos foi vetado integralmente pelo presidente Jair Bolsonaro (PL). A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (5), causando revolta em todo país, inclusive do presidente da Comissão de Cultura da Câmara Municipal de Salvador, Sílvio Humberto (PSB).

“É sabido por todos que o setor cultural e de eventos foram os primeiros prejudicados com a pandemia causada pela Covid-19. Artistas de todo o Brasil passaram por diversas dificuldades diante da ausência de shows, espetáculos teatrais e demais modalidades artísticas que garantiam renda e sustento para a categoria. O presidente segue agindo em defesa das coisas sem as pessoas”, aponta o vereador.  

Para Sílvio Humberto, a justificativa de que o projeto contraria o interesse público e é inconstitucional é uma vingança contra as manifestações realizadas por artistas contra o atual governo.

Últimas Noticias

Ver menos televisão pode reduzir risco de doenças cardíacas coronárias

Mais de um em cada 10 casos de doenças cardíacas coronárias poderiam ser evitados se as pessoas reduzissem o...