Carnaval Negro: Ancestralidade e Pertencimento é o tema da primeira edição Patrimônio É… 2022

Próxima terça-feira (31), em meio às comemorações pelos 34 anos da Casa do Benin, a Prefeitura de Salvador, por meio da Fundação Gregório de Mattos, abre a temporada 2022 do Patrimônio É… com o tema Carnaval Negro – Ancestralidade e Pertencimento, a partir das 16h, presencial, na Casa do Benin e online, no canal do Youtube da FGM

Como novidade, a edição 2022 apresenta-se em formato híbrido, trazendo de volta os encontros presenciais, que passam a ser itinerantes, cada mês num bairro de Salvador e sempre com transmissão ao vivo, pelo canal do Youtube FGM.

Às 16h, acontece a abertura da exposição Ocupação Histórias em Tecidos – Ancestralidade e Pertencimento, de Alberto Pitta. O artista plástico e carnavalesco, promove ocupação com tecidos criados para Blocos Afro e Afoxés, que através dos quais são contadas histórias do carnaval negro. A exposição fica disponível para visitação de terça a sábado, durante todo o mês de junho, das 10 às 17h. Entrada gratuita.

Na sequência, às 17h, tem início a roda de conversa sobre educação patrimonial, Patrimônio É…, com a participação do professor, arte-educador, artista visual, graduado em Licenciatura em Desenho e Plástica pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e um dos organizadores das festas populares do bairro de Itapuã – Lavagem, Carnaval e Festa da Baleia de Itapuã, além de responsável pela criação e produção das alegorias artísticas do Grupo Cultural Galera do Mar, Ives Quaglia, do bailarino, ator, performer, instrutor de técnicas artistas, professor e coreógrafo dos alunos da Escola de Olodum, Negrizu Santos, da Mestra em Cultura e Sociedade, jornalista e gestora cultural do Bloco Alvorada, Camilla França e do artista plástico e carnavalesco, um dos pioneiros na criação do que hoje se conhece por estampas afro-baianas, utilizando-se de símbolos, ferramentas, indumentárias e adereços dos orixás como fonte de inspiração, Alberto Pita.

Para Vagner Rocha, gerente de Patrimônio Cultural da FGM, “a retomada do Patrimônio É… com formato reformulado mostra como tradição e modernidade, passado e presente estão em constante diálogo. Queremos que o público perceba que Patrimônio não é algo velho, chato e enfadonho, muito pelo contrário: é história, memória e identidade cultural, e nos ajuda a entender como chegamos até aqui. Ao longo do ano, vamos abordar temas bastante interessantes e, de forma presencial ou online, contamos com a participação do público para que conheça, reflita e se aproprie cada vez mais dos bens culturais da nossa cidade”.

Patrimônio é… – as rodas de conversas Patrimônio É… integram as ações de educação patrimonial do Programa Salvador Memória Viva, executado pela Gerência de Patrimônio Cultural, da Diretoria de Patrimônio e Humanidades da FGM.

Até 2019, os encontros eram presenciais, no Espaço Cultural da Barroquinha, com transmissão ao vivo, pelo Facebook da FGM. Durante a pandemia, em 2020 e 2021, passaram a acontecer em plataforma virtual, por meio do canal do Youtube da Fundação e, a temporada 2022 tem início com formato híbrido e itinerante, cada mês, num bairro da cidade e sempre transmitidos pelo Youtube.

Últimas Noticias

Confiante, Geraldo diz que time de Lula vai contrariar pesquisas mais uma vez

Pré-candidato a vice-governador e presidente da Câmara de Salvador, Geraldo Júnior demonstrou confiança na vitória de Jerônimo Rodrigues ao...