Enxaqueca oftálmica pode indicar doenças graves

Dados da SBC (Sociedade Brasileira de Cefaleia) apontam que no Brasil 70% da população feminina e 50% da masculina têm pelo menos uma dor de cabeça ao mês. O levantamento também mostra que 20% das mulheres e entre 5% a 10% dos homens sofrem com enxaqueca, dor pulsante em um dos lados da cabeça, mas poucos buscam tratamento. Resultado: a enxaqueca crônica é bastante comum no Brasil.

Segundo o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto do Instituto Penido Burnier de Campinas 3,5 da população ou 7,5 milhões de brasileiros têm enxaqueca oftálmica ou com aura. A diferença, explica, é que a forte dor de cabeça, enjoo, sensibilidade à luz e ao som que caracterizam a enxaqueca comum, na oftálmica vem acompanhada perda transitória de campo visual e pontos cegos em um dos olhos, aparecimento de pontos cintilantes, escurecimento da visão e distorção da imagem. Quando a perda de campo visual surge nossa dois olhos indica outras doenças que devem ser investigadas com um neurologista.

Sintomas e causas

O oftalmologista afirma que a aura visual sinaliza isquemia ou irrigação sanguínea insuficiente na retina. Por isso, o tratamento sempre é iniciado no consultório oftalmológico e requer tomografia de contraste na retina visando preservar a visão. “Quem tem problemas de circulação como hipertensão e diabetes deve ficar mais alerta com o acompanhamento oftalmológico. Adiar o tratamento de alterações na circulação da retina é perigoso”, pontua. Isso porque, recorrentes crises de enxaqueca com aura podem levar células da retina à morte. Também pode indicar risco de AVC (Acidente vascular Cerebral), em especial nos que têm hipertensão arterial.

Falta de óculos

Queiroz Neto diz que a dor de cabeça responde por uma em cada quatro consultas oftalmológicas, mas nem sempre a cefaleia está relaciona a algum problema de visão.

A dor relacionada à falta de óculos, explica, só aparece no fim do dia. Geralmente é decorrente do esforço visual para realizar as atividades cotidianas, sobretudo no computador. Para quem passou dos 40 anos, comenta, a dor de cabeça depois de horas olhando para uma tela pode sinalizar a chegada da presbiopia ou vista cansada que diminui a visão de perto e exige o uso de óculos de leitura para exercer as atividades próximas. Mas pode surgir em qualquer idade. Entre crianças 30% sentem o desconforto nas atividades digitais. Na infância comenta, outro problema de visão que com menor frequência pode causar dor de cabeça é a grande diferença de acuidade visual entre os olhos, conhecida como anisometria. Isso porque, as imagens chegam em tamanhos muito diferentes para cada olho.

Recorrer à automedicação faz com que a maioria dos brasileiros que sofrem com enxaqueca crônica fiquem expostos a graves complicações visuais e neurológicas já que de acordo com a SBC só 5% buscam tratamento com um neurologista. Quando o assunto é saúde prevenir é sempre melhor que remediar, conclui.

Últimas Noticias

Fim da dupla Simone e Simaria é confirmado

As irmãs Simone e Simaria confirmaram em portagem nas redes sociais, nesta quinta-feira (18/08), o fim oficial da...