“Não é apologia à homossexualismo, mas por uma educação inclusiva”, diz Luiza Maia

Para a deputada e professora Luiza Maia (PT), a distorção feita sobre “gênero” no Plano Estadual de Educação, protagonizada por setores religiosos, serve para desinformar a população e disseminar a intolerância. “A questão de gênero não prega ‘apologia ao homossexualismo’, mas busca uma educação inclusiva”, defendeu.

“Nós mulheres estamos sendo ofendidas pela forma como estão desvirtuando a questão de gênero e diversidade constantes no Plano. Assegurar este debate é uma luta histórica. Radicais têm dito que estamos querendo ‘ensinar homossexualismo nas escolas’. Isto é um absurdo! Esse debate precisa ser feito com clareza para evitar esse machismo, fundamentalismo e violência contra as minorias sociais”, disse.

Luiza Maia destacou também que é preciso respeitar a religiosidade individual de cada cidadão, mas que o Estado é laico e a Constituição Federal assegura direitos iguais para todos: “Só respeitando as diferenças é que avançaremos na construção de uma sociedade igual. Respeitamos os dogmas de cada religião, mas não podemos trazer isso para a construção de uma educação pública”.

Últimas Noticias