Administradora premeditou assassinato da mãe a facadas na Cidade Nova, afirma irmão da vítima

Em contato com o Informe Baiano na tarde deste domingo (01/05), o irmão de Vera Lúcia Silva Martins, de 58 anos, morta com cinco facadas dentro de casa, no bairro da Cidade Nova, afirmou que o crime foi premeditado pela própria filha, a administradora Dulce Martins Barreto, de 34 anos, que está foragida. “Ela foi fria, calculou, ligou pra alguém levar ela, trancou ela dentro do quarto. E houve luta corporal, minha irmã lutou para sobreviver. Foram cinco golpes no coração e nos rins. Ela premeditou tudo, roubou as jóias dela, a televisão. Alguém levou as coisas de minha irmã com ela. Ela matou e ainda deixou presa no quarto. As pessoas perguntavam: cadê Vera? Ela dizia que não sabia”, afirmou Alexandre Martins.

O motivo teria sido uma herança que o marido de Vera deixou para a família. A acusada, constantemente, ameaçava a mãe. “Ela tinha bastante inveja da mãe, queria o apartamento, a pensão, queria que a mãe tivesse dado tudo a ela. Eu dizia, minha irmã, deixa essa menina ai. Mas ela queria ficar perto da filha que tudo indica que era usuária de drogas”, disse.

Vera Lúcia foi enterrada no último sábado (30), no Cemitério Campo Santo, na Federação. “A gente agora pede Justiça, estamos muito tristes. Era uma menina que não tinha necessidade nenhuma de fazer isso, que foi criada com tudo. Tinha tudo. A mãe fazia tudo por ela”, finalizou.

cidade nova3 cidade nova1

Últimas Noticias