Governo garante R$ 33 milhões para 2ª etapa do Programa Água Doce na Bahia

Nesta terça-feira (29), a Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema) recebeu autorização do Ministério do Meio Ambiente para a continuidade do Programa Água Doce (PAD) na Bahia. A 2ª etapa do PAD no estado, no valor orçado de R$32.987.420,00, foi autorizada após gestão do secretário do Meio Ambiente, Geraldo Reis, junto ao Ministério, assegurando o gasto do recurso. Ainda esta semana, a Companhia de Engenharia e Recursos Hídricos da Bahia (Cerb), parceira executora responsável pela implantação dos sistemas de dessalinização, dará início aos processos de licitação das obras.

O Programa Água Doce transforma água salobra de poço em água potável da mais alta qualidade para o consumo humano, através da implantação de sistemas sustentáveis de dessalinização no semiárido, incentivando a autonomia das comunidades na gestão da água. O programa tem o compromisso de garantir o uso sustentável dos recursos hídricos, promovendo a convivência com o semiárido a partir da sustentabilidade ambiental.

“A Bahia comemora a liberação deste investimento. É mais um resultado do esforço de gestão do governo Rui Costa”, comemorou o secretário Geraldo Reis. Segundo o gestor, “o Governo da Bahia está atuando em diversas frentes no combate e enfrentamento à crise hídrica, que recebe esse importante reforço. São quase R$ 33 milhões que serão destinados a uma política com resultados efetivos para garantir acesso à água, permitindo que o semiárido baiano tenha mais 150 sistemas de dessalinização. O Água Doce tem um papel muito importante porque produz água de qualidade para o consumo, garantindo este direito fundamental a famílias de comunidades rurais com extrema dificuldade hídrica”, afirmou.

Desde abril deste ano, quando aconteceu o II Encontro Estadual do Programa Água Doce, em Salvador, reunindo as comunidades e municípios beneficiados na primeira etapa do programa na Bahia, a Sema iniciou esforços junto ao Ministério do Meio Ambiente para garantir a continuidade do programa. Em visita ao secretário de Recursos Hídricos e Qualidade Ambiental, Jair Tannus, em julho, foi reafirmada a parceria entre o ministério e Sema. “O Água Doce, iniciativa premiada pela ONU, é um programa exitoso, de grande visibilidade e extremamente necessário para as populações do semiárido brasileiro”, disse Tannus. A previsão total de investimento é em torno de R$ 72 milhões, com recursos do Ministério do Meio Ambiente e do Governo do Estado.