Azi diz que agressão de PMs ao Informe Baiano pode ser fruto da “recomendação do governo em esconder dados oficiais”

“Presto solidariedade ao Informe Baiano. O descontrole desse policial é por conta da falta de pulso do governador. Parece que está orientando a polícia a esconder os dados de homicídio que não param de crescer. É preciso investigar se isso é uma recomendação do governo em esconder dados oficiais ou se é uma atitude isolada”, disparou o deputado federal Paulo Azi (DEM) ao comentar as agressões sofridas pelos repórteres Ramon Margiolle e Carlos Júnior, do site Informe Baiano, durante a cobertura de um homicídio no bairro Paralela Park, na noite de quarta (11).

“Esse tipo de agressão merece o repúdio de todos, pois fere um dos princípios da nossa constituição que é a liberdade de expressão. A liberdade de imprensa não pode ser ferida. Isso precisa ser apurado” cobrou.

Ainda de acordo com o parlamentar, “a falta de comando de Rui Costa” transformou a “Bahia no estado campeão nacional em números absolutos de homicídios”.

Entenda o caso

Os repórteres Ramon Margiolle e Carlos Júnior foram agredidos por dois policiais da 50ª CIPM comandados pelo tenente Jardel, na noite de quarta (11), por volta das 19h30, no bairro Paralela Park. Os profissionais de imprensa estavam passando na rua Eixo I e perceberam um rapaz caído ao solo, que havia sido baleado. De imediato, foi comunicada a tentativa de homicídio ao Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) e também a Polícia Militar. Em seguida, foi iniciada a cobertura do crime, que evoluiu para a morte do motociclista Lyuan Cardoso Rabelo, de 20 anos. Lyuan recebeu pelo menos quatro tiros.

Nota da SSP

A Secretaria da Segurança Pública determinou que a Corregedoria da Polícia Militar apure com rigor o caso denunciado por jornalistas do site Informe Baiano, sobre agressões cometidas por PMs da 50 CIPM. Ressalta que a imprensa é fundamental para a sociedade democrática e que deve ser respeitada.