Coronel x Delegado: Oficial afirma que foi agredido e que havia “intenções escusas”

A Força Invicta, associação que representa os oficiais da Polícia Militar da Bahia, enviou ao Informe Baiano nesta terça (10) uma nota sobre a confusão envolvendo um tentente-coronel, um delegado e um soldado após um tiroteio no bairro de Stella Maris. O fato está sendo investigado pelas Corregedorias das Polícias Militar e Civil. Veja abaixo o documento.

“Em relação ao incidente ocorrido no último sábado (07), no bairro de Stella Maris, entre o Ten Cel PM Manoel Muniz e os policiais, Soldado PM Tibério do Vale Alencar e o delegado titular da DHPP, Odair Carneiro, a Associação dos Oficias Militares Estaduais – Força Invicta vem esclarecer que de acordo com o Oficial da PM, ele flagrou uma situação até agora revestida de muito mistério.

O Ten Cel Muniz estava no interior de um estabelecimento comercial, em companhia de sua esposa e desarmado, quando ouviu tiros contínuos, e quando uma jovem, aparentando 16, 17 anos, entrou no local relatando que havia sido baleada no braço direito, próximo à axila. O que foi constatado pelo Oficial. Nesse momento, o Ten Cel Muniz visualizou uma movimentação na parte externa, vislumbrando quatro homens, todos portando pistolas e, quando ouviu os mesmos afirmarem serem policiais, se aproximou deles, identificando-se também como policial, buscando informações sobre o ocorrido e solicitado que eles providenciassem socorro para a vítima, o que efetivamente não ocorreu.

“Um deles, que posteriormente foi identificado como Delegado de Polícia se exaltou dizendo eu estava atrapalhando”, destacou. Quando o Oficial insistiu na sua solicitação de apoio à vitima, todos evadiram-se indo em direção ao veículo que usavam, e que já estava posicionado para sair do local. Diante da situação com uma menor baleada e a omissão dos mesmos, o Ten Cel Muniz também foi em direção ao referido veículo para tentar identificá-los através da placa do carro, mas o Soldado Tibério tentou impedí-lo, investindo contra o Oficial, agredindo-o fisicamente com empurrões, socos e ainda desferindo alguns chutes, ao tempo em que gritava para que os outros entrassem no carro para se evadirem do local, o que de fato ocorreu.

Além disso, o Ten Cel Muniz já havia percebido que as placas de identificação dianteira e traseira do veículo desses supostos policiais, estavam dobradas com sinais nítidos de que havia intenções escusas para tal procedimento.
Diante desses e outros fatos, não restou outra atitude ao Oficial da PM, senão agir em nome da lei e da manutenção da ordem pública, e como profissional de segurança, solicitar apoio de uma viatura que se fez presente no local e empreendeu diligência para localizá-los e dar-lhes voz de prisão, o que ocorreu ainda em pleno estado de fragrância delitiva, ao localizar os pressupostos policiais no interior de um flat em Praia do Flamengo, para em seguida conduzi-los às autoridades competentes de suas respectivas Corporações, para as devidas autuações.

Para o Presidente Força Invicta, Ten Cel Edmilson Tavares, o importante agora é a abertura de procedimento administrativo para que se apurem os fatos com lisura, transparência e imparcialidade”.

Últimas Noticias