Medicamento para tratamento de portadores de HIV é suspenso pela Anvisa

A Agência Nacionala de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu hoje o lote 17080002, do Lafepe Zidovudina, substância antivirótica sistêmica indicada como fármaco preferencial no tratamento de pacientes com síndrome de imunodeficiência adquirida e também com o complexo relacionado com a síndrome de imunodeficiência adquirida, causados pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV).

O laboratório fabricante, Lapefe, informou ter identificado a presença de partículas estranhas no medicamento e comunicou à Anvisa que está fazendo o recolhimento do lote, que tem data de fabricação 09/2017 e validade até agosto de 2019. As demais unidades do produto estão liberadas.

Também está suspenspo lote B16L1470, com validade até novembro de 2018, do medicamento Heclivir (aciclovir), 200mg, comprimido. O produto, fabricado pela Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica, é indicado para herpes zoster, no tratamento e recorrência das infecções de pele e mucosas pelo herpes simples, na prevenção de infecções recorrentes por herpes simples (supressão).

Segudno a Anvisa, o Laboratório Central de Saúde Pública do Distrito Federal identificou problemas nos ensaios e nos rótulos ao fazer a análise do medicamento. A fabricante fará o recolhimento do produto.

Também nesta sexta-feira a agência suspendeu todos os remédios fabricados pelo laboratório Theodoro F. Sobral, depois da perda do Certificado de Boas Práticas de Fabricação para a empresa. Segund a Anvisa, a empresa foi classificada como insatisfatória e, por isso, nenhym desses medicamentos podem ser comercializados.

 

*oglobo

Relacionados