Consórcio BRT inicia obras de revitalização de calçada em via marginal da ACM

O Consórcio BRT iniciou, nesta quinta-feira (19), obras de revitalização e alargamento da calçada próximo ao Centro de Atenção à Saúde Professor Doutor José Maria de Magalhães Neto (Cepred), na via marginal da Avenida ACM, defronte às concessionárias Volkswagen e Citroen. O estacionamento que existe em frente a essas lojas de automóveis será retirado para a ampliação do passeio. Além disso, lombo-faixas serão implantadas para permitir o acesso seguro à unidade de saúde.

Não haverá alterações no fluxo para automóveis nesse trecho e nem a retirada do estacionamento de Zona Azul que fica ao longo da pista marginal depois do Cepred. Essas intervenções irão corrigir problemas de ondulações visando facilitar o trânsito de pessoas com mobilidade reduzida, sobretudo caldeirastes.

Já o canteiro por onde passa o canal Camarugipe, na região do Cidadela, próximo à Comercial Ramos, começou a receber ontem (18) os tapumes, tanto na via marginal como na ACM. A partir do dia 1º de agosto, após uma ampla campanha de divulgação feita pela Prefeitura sobre as intervenções e alterações no fluxo para pedestres, não será mais permitida travessia nessa área. A travessia da pista marginal para as vias principais, e vice-versa, só poderá ser feita pelas extremidades, por fora da área tapumada, a partir de 1º de agosto .

Essas intervenções na Avenida ACM antecedem a outras previstas para o primeiro dia do próximo mês, que envolvem alteração de pontos de ônibus e mudanças viárias nas vias principal e marginal da Avenida ACM, no sentido Cidade Jardim, por conta da implantação do trecho um do projeto do BRT, com o início da construção de viadutos, elevados, ciclovia e corredores exclusivos de tráfego.

As mudanças, sobretudo, são fundamentais para garantir a segurança da população durante o período de obras. O projeto do BRT vai promover avanços na mobilidade tanto para quem anda de transporte público quanto de carro, de bicicleta ou mesmo a pé, solucionando problemas de engarrafamento e oferecendo mais qualidade de vida, na medida em que as pessoas irão perder menos tempo no trânsito nessa que é a área mais movimentada da cidade. Ou seja, os benefícios no futuro próximo serão consideravelmente maiores do que os eventuais transtornos do presente.

Pontos de ônibus – Em função do isolamento por tapume de toda essa área em obras, o ponto de ônibus localizado na Avenida ACM em frente à Igreja Mundial do Poder de Deus será deslocado para perto da faixa de pedestre e da sinaleira que ficam 350 metros mais adiante, no sentido Comercial Ramos. Quem atualmente pega o ônibus neste local terá como opção o novo ponto mais à frente ou aquele situado nas imediações da IURD, que não sofrerá modificação.

Já o ponto de ônibus da região do Cidadela, que tem baixo movimento e fica em trecho onde haverá obras, será suprimido. Quem pega o transporte público nesse local terá como opção o ponto que fica mais adiante, logo depois da sinaleira que permite a travessia segura para o McDonald’s. Uma segunda opção é a outra parada de ônibus próxima à Comercial Ramos, que também não sofrerá modificação. Vale frisar que não haverá mudanças no itinerário de linhas do transporte público.

Fluxo para automóveis – Nessa etapa de alterações, que deve durar um ano, não haverá mudanças significativas no fluxo viário para quem utiliza o automóvel. Em função da área tapumada ocupar parte da via ACM, a pista principal será alargada, preenchendo também o canteiro central.

As pistas de entrada e saída de veículos da via marginal, na área do Cidadela (após o retorno da Polêmica), serão fechadas. Outra informação importante é que a velocidade máxima nos trechos de entrada e saída de veículos pesados nos canteiros será de 40km/h enquanto durarem as intervenções (hoje os limites são de 60km/h e 70km/h, respectivamente). Essa modificação temporária, que acontece sempre que há obras de grande porte em vias públicas, é necessária por questões de segurança, já que haverá tráfego de veículos pesados e obras próximas às faixas de rolagem.

Todas essas mudanças serão sinalizadas pela Prefeitura, que intensificará a presença de agentes de trânsito no local para orientar os motoristas no início das alterações. A sinalização será tanto vertical quanto horizontal, para motoristas, pedestres e usuários de transporte público. Essa comunicação visual será reforçada com monitores digitais da Transalvador e distribuição de panfletos, além de campanha publicitária.

Novo modal – O projeto do BRT envolve melhorias na mobilidade, infraestrutura e no transporte público das avenidas Vasco da Gama, Juracy Magalhães Júnior e ACM, na área mais movimentada da cidade, com alta empregabilidade e densidade populacional. O primeiro trecho, que está em fase inicial de obras, a cargo do Consórcio BRT, liga as regiões do Parque da Cidade e do Iguatemi.

Serão construídos dois viadutos direcionais nos acessos ao Parque da Cidade e ao Cidade Jardim; dois elevados paralelos na região do Cidadela; dois viadutos na área do Hiperposto; e mais um elevado no Iguatemi que permitirá a integração do BRT com a estação de metrô. Essas estruturas visam melhorar a mobilidade na região, eliminando cruzamentos, semáforos e engarrafamentos.

Além disso, graças aos viadutos e elevados, será possível a criação de duas faixas expressas em cada sentido da Avenida ACM, aproveitando as pistas de rolagem existentes hoje, por onde automóveis poderão transitar sem passar por sinaleiras, de forma livre. Duas faixas feitas em concreto irão assegurar a circulação dos ônibus especiais e com ar-condicionado do BRT, também sem pegar trânsito ou sinaleira.

As pistas lindeiras (duas de cada lado da ACM, nas marginais) irão permitir o acesso às residências, estabelecimentos comerciais e bairros no entorno, bem como a travessia de pedestres em faixas com sinaleiras e o acesso às estações do BRT, que ficarão sob os elevados. Haverá ainda uma ciclovia segregada em toda a extensão do novo modal de transporte.

Uma passarela nova será construída em frente à região do Iguatemi, sobre a Praça Newton Rique. E a passarela do Hospital Teresa de Lisieux será substituída por uma nova, dentro dos padrões universais de acessibilidade. As obras do BRT irão acabar não só com os engarrafamentos nessa região por onde circulam 340 mil pessoas diariamente apenas de transporte público, mas também com os alagamentos que frequentemente atingiam vias como a ACM em períodos chuvosos.

Relacionados